​VILLA FRANCIONI RECEBE MAIS UMA ETAPA DO GASTRONÔMADE EM SETEMBRO

Pelo segundo ano consecutivo a vinícola Villa Francioni se prepara para sediar um dos eventos mais charmosos da gastronomia nacional.
 A Vinícola Villa Francioni, localizada à 1.260 metros acima do nível do mar, na serra catarinense, servirá de cenário para um banquete em mais uma etapa do Gastronômade Brasil 2016. O evento será realizado a partir das 13 horas, no dia 10 de setembro, em São Joaquim. O destaque fica por conta dos ingredientes da região, que serão harmonizados com os premiados vinhos da Villa Francioni,  vinícola estabelecida na região, há mais de dez anos. O chef escocês Alex Floyd é quem assina novamente o menu, entre os pratos que serão servidos estão o tortelinni de cogumelos, broth de pato e chá lapsang souchong e o filet mignon Forestier com Bunn porcini, polenta cremosa e farofa de pinhão.  De acordo com o organizadores, 90% dos ingressos para  etapa SC já foram vendidos, o que reflete a grande aderência dos catarinenses. Para participar, é preciso comprar ingressos com antecipação pelo site http://www.gastronomadebrasil.com . As vagas são limitadas. 

 A vinícola

A Villa Francioni  é procurada por mais de 40 mil  turistas, que todos os anos conhecem em detalhes o projeto inovador, que tem impulsionado o enoturismo em Santa Catarina. Mesmo jovem,  a  vinícola coleciona prêmios nacionais e o reconhecimento de profissionais do país e até do exterior. A empresa comercializa vinhos em três linhas de produtos: VF, Joaquim e Aparados. São produzidos por ano mais de 160 mil garrafas entre espumantes, brancos, rosés, tintos e vinhos de sobremesa. A empresa familiar é presidida por Daniela Borges de Freitas, que tem ainda dois irmãos como sócios. Daniela Freitas, destaca a consolidação da empresa ao longo dos anos, “o momento é oportuno para enaltecermos a evolução de nossos vinhos após uma década de avanços no exigente mercado nacional. A conquista de vários prêmios comprova o reconhecimento do setor à empresa, que tem foco na excelência.  Será um grande prazer compartilhar este momento, com os participantes novamente nesta etapa do Gastronômade, no terroir da Villa Francioni”. 
 Gastronômade

 Criado em 1999, nos Estados Unidos, o evento itinerante cuja proposta é montar um restaurante sem paredes, ao ar livre e em locações inusitadas, como fazendas, jardins urbanos, montanhas, cavernas do mar, ilhas isoladas ou jardins suspensos no meio de metrópoles, com mesas coletivas que abrigam cerca de 100 convidados e um chefe renomado que cria um menu especial para a ocasião, lançou em 2012 a sua versão verde-e-amarela, o Gastronômade Brasil, pelas mãos da empresaria Renata Runge, e teve o apoio incondicional dos mais renomados chefes do Brasil.

 Segundo os organizadores, o principal objetivo é reconectar as pessoas com a terra e as origens de seus alimentos, por meio do contato direto com os agricultores e produtores locais. Em tempos de alimentos com a procedência duvidosa pipocando pelo mundo, a preocupação em oferecer ingredientes frescos e conscientizar o consumidor sobre o localismo está virando cada vez mais tendência. E se é tendência, o Brasil, claro, não poderia ficar de fora.

Serviço:

Etapa Santa Catarina

Data: 10 de setembro de 2016 – 13:00 hs

Local: Vinícola Villa Francioni

End:  SC-114, 300, São Joaquim – SC

Chef: Alex Floyd

Harmonização exclusiva: Vinícola Villa Francioni

Anúncios

VSA Brut Branco: Um espetáculo de Espumante

Falar da Vinícola Santa Augusta, de Videira – SC, é falar de bons vinhos e espumantes. Um bom exemplo é o VSA Brut Branco!

Elaborado com Cabernet Sauvignon 54%, Merlot 16%, Chardonnay 30%. Segunda fermentação em autoclaves com temperatura controlada em 12 o C. A maturação ocorreu na permanência do espumante por 6 meses sobre as leveduras o que lhe conferiu cremosidade e fineza.

Esse espumante apresenta uma coloração amarelo palha, de boa limpidez. Perlage fino, longo e constante. Boa qualidade aromática, elegante e intenso, predominando as notas de maçã verde, abacaxi, nuances florais e a casca de pão. Acidez muito equilibrada, boa refrescância e persistência. Retrogosto predominando as notas frutadas (cítrico e abacaxi) e a casca de pão.

Um espumante equilibrado, fresco, de muita qualidade!

20160721_102331

Espumante Batalha Nature: Fineza e Qualidade!

Espumante foi elaborado com uvas 100% Chardonnay, pelo processo Natural de fermentação na própria garrafa (Champenoise), ficou 18 meses em contato com a levedura na garrafa, para após se iniciar o processo de remoage, para a retirada da levedura e após adição do licor de expedição.

Apresenta coloração amarelo ouro. Perlage fino, longo e duradouro. A qualidade aromática desse espumante é fora de série! Elegante, intenso e de muita qualidade, predominando as notas de calda de abacaxi, fermento de pão e mel. Persistente e boa cremosidade em boca, apresentando acidez mediana. Retrogosto com notas de abacaxi, amendoas e fermento de pão. Um espumante equilibrado, pronto para consumo!

20160721_102353

Privillege Brut Rosé: uma (re)descoberta degustada na taça

Extrovertido e ao mesmo tempo sofisticado, o Privillege Peterlongo Brut Rosé é o espumante mais premiado da Vinícola Peterlongo nos últimos anos. A qualidade do produto, elaborado a partir da variedade vinífera Pinot Noir cultivada em Encruzilhada do Sul, na Serra do Sudeste Gaúcho, vem sendo reconhecida por experts do mundo todo, por meio de medalhas de Ouro e Prata conquistadas em concursos de vinhos.

Elaborado pelo método charmat, com controle diário de temperatura e pressão, o espumante caiu no gosto do consumidor, sendo um dos destaques da vinícola, responsável por elaborar o primeiro espumante brasileiro e a partir daí dar início a história da bebida no país. Centenária, a vinícola é reconhecida por sua tradição na arte de elaborar champagnes e espumantes, status que reposiciona a marca a partir de um amplo trabalho que vem sendo colocado em prática na busca pela qualidade total.

Investimentos em tecnologia, desde o vinhedo até o maquinário, na qualificação e atualização de profissionais e, principalmente, no próprio produto comprovam na taça a aceitação do público consumidor com o aval de especialistas do mundo do vinho. “Estamos no início de um processo de qualificação que não tem prazo para encerrar. Os primeiros resultados já aparecem na aprovação do consumidor. A busca é constante e envolve cada detalhe, desde a uva até o rótulo, para que o espumante chegue ao ponto de venda surpreendendo cada apreciador”, destaca a enóloga Deise Tempass.

O Espumante

Equilibrado, cremoso e com acidez marcante, o espumante apresenta excelente frescor com retrogosto frutado e intenso. Seus aromas exalam frutas vermelhas como morango, cassis e amora, destacando boa intensidade e leve toque tostado. No visual, limpidez e coloração levemente rosada de boa vivacidade. Perlage fino, intenso e persistente. O Privillege Peterlongo Brut Rosé tem 11,5% de graduação alcoólica e 6,7 g/L de acidez total. O valor do espumante no varejo da vinícola é de R$ 37,75. Na compra de uma caixa o valor unitário fica em R$ 32,10.

Privillege

FONTE: CONCEITOCOM Brasil

 

Pinot Noir da Vinícola Suzin é o melhor do Brasil!

Neste mês de Agosto foram divulgados os vinhos campeões da 5ª edição Grande Prova Vinhos do Brasil (GPVB). Entre participantes da prova realizada no Rio de Janeiro, estiveram mais de 850 amostras, de 110 vinícolas nacionais, de oito estados brasileiros. Os resultados serão divulgados pelo Anuário Vinhos do Brasil 2016/2017. Neste ano foram 28 categorias, com  30 campeões (ocorreram três empates). Seguindo normas da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), o número de medalhas foi limitado a 30%. No total, foram cinco medalhas de duplo-ouro, 160 medalhas de ouro e 90 medalhas de prata. Espumante Brut Champenoise e Tinto Super Premium foram as categorias com mais medalhas de ouro, com 31 e 37, respectivamente.

Na categoria Pinot Noir, o grande campeão foi o elaborado pela Vinícola Suzin, de São Joaquim! Além dessa premiação, o Cabernet Sauvignon/2011 da Suzin recebeu medalha de Ouro.

Pinot Noir Suzin – De coloração Rubi de média intensidade, com alguns reflexos violáceos. Apresenta uma qualidade aromática diferenciada, muito elegante, destacando as notas de framboesa, morango, mirtilo, além da baunilha e especiarias. Acidez muito bem equilibrada e taninos redondos e elegantes na boca.

Essas duas premiações consolidam a Vinícola Suzin como referencia na elaboração de vinhos finos da mais alta qualidade.

PINOT-NOIR-2014-500x350

 

 

O vinho Madeira

Dizem que o vinho que os antepassados dos norte-americanos beberam para brindar a assinatura da Declaração da Independência foi o Madeira. Durante o século XVIII, as colônias norte-americanas importavam um quarto de toda a produção do Madeira e nenhum outro vinho tinha tanto prestígio.

O vinho Madeira vem de uma pequena ilha escarpada e vulcânica, a Ilha da Madeira. O clima subtropical da ilha é atípico para o cultivo das videiras, mas na Ilha da Madeira tudo é único, inclusive a maneira de produzir o vinho.

O Madeira é um vinho fortificado, com 17 a 20% de álcool, que de início não era fortificado. No final do século XVI, o Madeira não fortificado fazia parte das mercadorias levadas pelos navios mercantes que se dirigiam a África, Índia, e mais tarde à América do Sul. Com os solavancos, o calor e o abafamento, o vinho não fortificado estragava rapidamente.

No final do século XVII, passou-se a acrescentar aguardente ao vinho para estabilizá-lo e conservá-lo. O Madeira fortificado passou a ser uma história totalmente diferentes. Amadurecido durante longos meses ao balanço do navio e ao calor equatorial, esse Madeira tornou-se um vinho deliciosamente rico. A propósito, os Madeiras mais admirados eram todos chamados de “vinhos torna-viagem”, ou seja, que tinham feito a viagem de ida e volta.

Para preparar o Madeira, acrescenta-se aguardente de uva neutra antes que o vinho complete a fermentação. Isso neutraliza a levedura, detém a fermentação e produz um vinho fortificado que poder um pequeno toque de doçura.

O caráter de tofe e caramelo do Madeira aparecem como resultado do aquecimento do vinho, um processo chamado de estufagem. Há vários métodos, dependendo da qualidade do Madeira a ser produzido. O mais básico envolve a colocação dos vinhos-base fortificados em recipientes, que por sua vez serão aquecidos a uma temperatura média de 40ºC durante três a seis meses.

Contudo para os melhores Madeira, os recipientes são colocados no sótão dos armazéns, que sofrem um tremendo calor graças a intensidade do sol na Ilha da Madeira. Ali esses recipientes permanecem sem serem perturbados, em geral, por anos e anos.

A maioria dos Madeira de qualidade básica é elaborada com a versátil uva tinta negra mole. No entanto, os melhores Madeira são feitos de uma das quatro uvas brancas designadas como nobres pelo Instituto de Vinho da Madeira, que são: sercial, verdelho, bual e malvasia. Esses nomes também são usados para designar os vários estilos do vinho Madeira.

Uma garrafa de vinho Madeira após aberta pode durar um bom tempo. Depois de tudo que ele passou: fortificação, calor extremo, longo envelhecimento na presença de oxigênio fazem do Madeira um vinho praticamente indestrutível.

 

Espumante Casa Portuguesa Brut Rosé 2014

A Vinícola Fazenda Santa Rita, de Vacaria – RS, vem se destacando na elaboração de vinhos finos e espumantes de alta qualidade.

Esse rótulo, eu particularmente aprecio muito. Está entre meus Espumantes Rosés preferidos. Uva / Variedade: 60% Chardonnay e 40% Pinot Noir.

Apresenta uma coloração Salmão, de boa limpidez, sendo muito atrativo visualmente. Perlage Fino e Longo.

Um dos pontos fortes desse espumante é a qualidade aromática. Muito Elegante e intenso, predominando as notas de morango, framboesa, cereja e um toque de casca de pão. Na boa, possui acidez e persistência mediana. Muito agradável e refrescante, no retrogosto percebe-se as notas de morango, leve toque vegetal e a casca de pão. Equilibrado e pronto para ser consumido.

Como Adquirir? https://www.vinicolafazendasantarita.com.br/shop/

20160721_102419