Villa Francioni lança safra 2009 do vinho de sobremesa Licoroso Tinto

A vinícola Villa Francioni lança nova safra do VF Licoroso Tinto, produzido a partir de um lote especial da variedade Cabernet Sauvignon Safra 2009. O vinho de sobremesa, foi elaborado a partir de uvas colhidas e desidratadas em ambiente controlado pelo período de 2 meses, gerando uma alta concentração de açúcar natural, possibilitando a elaboração de um vinho de sobremesa sem a adição de nenhum outro composto açucarado. O VF Licoroso Tinto, permaneceu por 8 anos em barricas novas de carvalho francês. A produção é limitada, estão sendo comercializadas 1.300 garrafas de 500ml.

A variedade Cabernet Sauvignon foi escolhida por apresentar características aromáticas marcantes, lembrando frutas negras, passas e especiarias. O tempo de evolução em garrafa é outra atração à parte, pois devido ao longo amadurecimento na barrica e a alta concentração, estima-se mais de 50 anos. Apresenta ótima harmonização com pera ao vinho e muito bom também como aperitivo.

46519234_1949574118462449_1641106733218660352_n

Anúncios

Nota de Degustação: Espumante Lovara Brut Branco

Localizada em Bento Gonçalves, a Vinícola Lovara é destaque na elaboração de ótimos espumantes, com destaque para o Espumante Lovara Brut Branco, elaborado pelo método Charmat.

VARIEDADES: Verdejo, Chenin Blanc e Sauvignon Blanc

Apresenta uma coloração amarelo palha, com reflexos esverdeados. Límpido, brilhante, com perlage fino, intenso e duradouro. A qualidade aromática desse espumante é acima da média, com toda certeza!!!! Muito intenso e elegante, predominam as notas de abacaxi, pêra, maçã verde e uma leve nota de mel. Em boca é refrescante, jovial, acidez na medida certa, e retrogosto predominando as notas cítricas, maçã verde pêra. Um espumante muito harmônico!!!! Recomendamos, sem dúvidas!!!!

20180905_191738

Nota de Degustação: Dalture Cabernet Sauvignon 2013

Não é novidade para ninguém que a Serra Catarinense, em especial o município de São Joaquim, possui uma aptidão para a elaboração de grandes vinhos.

Prova disso é esse Cabernet Sauvignon , safra 2013, elaborado pela Vinícola Dalture. Antes de falar sobre o vinho, é preciso enfatizar, a qualidade dos vinhos e espumantes elaborado por essa vinícola. Certeza de bons produtos, muito bem elaborados pelo enólogo Adão Cardoso. Quem passar por São Joaquim, não pode deixar de visitar a vinícola, pois esta possui um receptivo único na região para a recepção dos visitantes. Vale a pena a visita!

Sobre o vinho:

Esse vinho apresenta uma coloração Rubi muito intensa. Límpido e brilhante, é um vinho com bastante vivacidade. Qualidade aromática muito boa, intenso, predominando as notas de cereja, baunilha, canela e tabaco. Em boca é potente, estruturado, com boa persistência. Taninos maduros e harmônicos. Retrogosto predominam as notas de cereja, ameixa, tabaco, couro e uma leve baunilha. Vinho muito bem elaborado, que ainda apresenta potencial para evoluir e melhorar ainda mais!!!

20180827_100021

Brasil adere a movimento mundial que incentiva consumo moderado de vinho

O Brasil passa a integrar oficialmente o movimento mundial de incentivo ao consumo moderado de vinho, o Wine in Moderation (WiM). O ato de assinatura ocorreu nesta terça-feira (20), durante o Congresso da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), no Press Room do Punta Del Este Convention, em Punta del Este, no Uruguai. O Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) é a entidade que coordenará as ações atreladas à mobilização no Brasil.

O diretor de Relações Institucionais do Ibravin, Carlos Paviani, que representou o setor na solenidade, reforça que muitos países da Europa e da própria América do Sul já fazem parte deste movimento que incentiva o consumo do vinho ligado à gastronomia e ao convívio social. O Brasil é o quinto país da América do Sul a aderir ao programa mundial.

“Nosso papel é mostrar que o vinho, quando consumido moderadamente, é uma bebida que traz benefícios à saúde e ao bem-estar das pessoas. Por ser uma bebida convivial, na grande maioria dos casos, aprende-se a consumir em família, em encontros festivos ou comemorações familiares e, por isso, seu consumo tende a ser mais controlado, pois une diferentes gerações”, defendeu Paviani.

Ainda de acordo com o executivo, a adesão ao WiM faz com que o Brasil esteja inserido nas discussões sobre o tema, tenha acesso às informações importantes e possa desenhar estratégias para o consumo embasado em dados e informações relevantes do segmento. “É também uma aposta no crescimento do consumo de vinhos no país e, por isso, queremos fazer este trabalho de forma responsável e consciente. A moderação no consumo é a melhor alternativa para aproveitar os benefícios que o vinho proporciona, tanto em termos de saúde como pelo prazer e satisfação que esta bebida traz”, explicou.

“Dar as boas-vindas ao Ibravin no Wine in Moderation nos deixa muito contentes pois damos um passo adiante na ampliação da mensagem de consumo responsável na América do Sul. Estamos ansiosos por auxiliar no trabalho conjunto para informar, esclarecer e educar profissionais e consumidores a fim de desenvolver uma cultura sustentável do vinho no Brasil”, declarou o presidente da associação WiM, George Sandman.

A presidente e o diretor geral da OIV, Regina Vanderlinde e Jean-Marie Aurand, respectivamente, o coordenador do Departamento de Vinhos e Bebidas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Helder Moreira Borges e o coordenador operacional do Laboratório de Referência Enológica (Laren), Gilberto Cargnel, também participaram da solenidade. O ato foi prestigiado pela vice-presidente do WiM, Ursula Fradera, que integra a Academia Alemã de Vinhos, pelo diretor do WiN, Stylianos Filopoulos, e pelo presidente da edição deste ano do Congresso da OIV, o uruguaio José Lez, que também preside o Instituto Nacional de Vitivinicultura do Uruguai (Inavi).

A presidente da OIV, Regina Vanderlinde, cumprimentou o Ibravin pela adesão e disse que é o Brasil dá um passo importante para a comunicação responsável e ampliação do consumo, cujo potencial é muito grande. “O vinho se diferencia das outras bebidas e, por isso, pode ser feito um trabalho voltado ao consumo moderado, com os benefícios que ele traz”, resumiu.

Já o diretor geral Jean-Marie Aurand lembrou que a OIV é uma organização intergovernamental, mas que tem diversas instituições associativas como observadores, nas quais se incluem o WiM com um trabalho muito importante de conscientização do consumo responsável.

Até novembro de 2019 estão previstas no Plano de Trabalho do Ibravin diversas ações para dar visibilidade e transmitir os conceitos do movimento aos consumidores dos mercados interno e externo. Entre as atividades estão desde a exposição da logomarca em feiras e eventos apoiados pela entidade até a explanação em cursos de qualificação para profissionais do setor, para a imprensa e em campanhas publicitárias.

Educação para consumo do vinho
Um dos focos da atuação do Ibravin nos últimos anos tem sido a educação para o consumo do vinho. Prova disso é o programa Qualidade na Taça, que em parceria com o Sebrae, já qualificou mais de 2,5 mil profissionais desde 2014 e que deverá capacitar mais cerca de 600 até o final de 2019.

O gerente de Promoção do Ibravin, Diego Bertolini, responsável pelas ações do WiM no Ibravin, acrescenta que, além do Qualidade na Taça, outras iniciativas são realizadas para educar e conscientizar os próprios consumidores.

“Realizamos e apoiamos palestras, degustações orientadas, feiras e campanhas publicitárias que incentivam o consumo do vinho, diariamente e de forma despretensiosa. Com isso, fomentamos uma mudança cultural para que o vinho seja inserido no contexto diário das pessoas e para que os consumidores entendam isso como um hábito saudável”, explica. Bertolini informa que o Ibravin também continuará apoiando pesquisas científicas que comprovam os benefícios do vinho e também do suco de uva para a saúde.

SAIBA MAIS
Wine in Moderation – Programa Art de Vivre
Criado pelo setor vitivinícola para inspirar estilos de vida e bem-estar saudáveis e contribuir para a redução de danos relacionados ao álcool, o movimento Wine in Moderation (WiM) baseia-se em evidências científicas, educação e auto-regulação para organizar e capacitar a cadeia internacional de valor do vinho, aumentando a conscientização e o conhecimento sobre padrões de consumo responsável e moderado da bebida.
O programa possui uma coordenação central no mundo, mas com implementação nacional para que tenha capacidade de se adaptar às necessidades locais, respeitando a diversidade cultural.

Associação WiM
Fundada por associações do setor vitivinícola e empresas líderes de vinhos, a WiM Association é uma associação internacional sem fins lucrativos que coordena centralmente o programa Wine in Moderation, buscando expandir seu alcance e impacto em todo o mundo. Mais informações podem ser obtidas em www.wineinmoderation.com.

1542805521-0

Assessoria de Imprensa Ibravin: http://www.ibravin.org.br
Martha Caus: (54) 3538.3048 | (54) 9.8111.4450 – imprensa@ibravin.org.br
Cassiano Farina: (54) 3538.3048 | (54) 9.9937.9027 – imprensa2@ibravin.org.br
Camila Ruzzarin: (54) 3538.3048 | (54) 9.9190.1392 – imprensa3@ibravin.org.br

Ibravin realiza encontros para estimular formalização e ampliar presença nas regiões produtoras

Estimular a formalização de produtores e ampliar a presença institucional do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) nas regiões produtoras do Rio Grande do Sul e de outros estados do país estão entre os principais objetivos do Projeto Regional de Articulação Institucional. Nesta semana, os vitivinicultores dos municípios gaúchos da Serra do Sudeste, da Campanha e da região da Fronteira com o Uruguai participarão de reuniões com dirigentes do setor e com o agrônomo Leandro Venturin.

Na Serra do Sudeste, o encontro ocorre amanhã (21), às 18h, no Sindicato Rural de Encruzilhada do Sul. A atividade voltada para os produtores da Campanha será realizada nesta quinta-feira (22), às 13h30min, no escritório da Emater de Bagé. Já os agricultores e produtores de vinho da região da Fronteira com Uruguai se reunirão com os dirigentes na sexta-feira (23), às 8h30min, no auditório do Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia (Crea), em Santana do Livramento.

 

Desde o final do mês de outubro, dirigentes do Ibravin e de entidades que integram o Conselho Deliberativo estão percorrendo o estado do Rio Grande do Sul para dialogar com os produtores, levar informações do setor, orientar para que acessem e incluam seus dados no Cadastro Vitivinícola e também forneçam informações sobre as principais dificuldades e as formas de superar os gargalos e entraves na produção de uva para processamento e da elaboração e comercialização de vinhos e derivados. A iniciativa é operada pela empresa Terra do Futuro. Até o final da execução do projeto, com encontros realizados também em Santa Catarina, cerca de 300 produtores, de 60 municípios, deverão ter participado dos encontros.

 

Segundo o diretor de Relações Institucionais do Ibravin, Carlos Paviani, um dos focos das reuniões é prestar informações e estimular a formalização dos produtores de vinhos e sucos.

“Para isso, os pequenos produtores contam com duas opões: os agricultores familiares podem utilizar-se da Lei do Vinho Colonial, também conhecido como Artesanal, e o Simples Nacional, que a partir deste ano foi ampliado para o setor vinícola”, explicou.

Desde que o setor conquistou esse pleito foram mais de 300 empresas que optaram pelo regime tributário simplificado. Entre os benefícios estão a diminuição de custos tributários e a desburocratização da atividade.

Paviani cita, ainda, que estão sendo repassadas informações para os viticultores que se encaixam nos pré-requisitos para serem enquadrados na Lei do Vinho Colonial: produzir até 20 mil litros por ano, com 100% da matéria-prima própria. A medida permite que os agricultores vendam os seus produtos na propriedade ou em feiras no município.

Produtores relatam demandas nas propriedades

Em diversas regiões gaúchas uma das principais demandas é a solução de problemas ocasionados pela deriva dos agrotóxicos e os danos graves aos parreirais. Leonardo Schaf, vitivinicultor de São Sepé, participou de reunião realizada em Santa Maria no dia 30 de outubro e contou que tem sua produção prejudicada com a deriva de agrotóxico e que a sua preocupação vai além do parreiral.

“A minha produção está muito prejudicada por esse problema, até já passei mal na minha propriedade por causa disso. Mas agora vamos esquecer o parreiral e ver a nossa volta, são nossos filhos, nossos netos, nossas crianças que estão neste ambiente perigoso, sujeitos a estarem respirando esse produto. É um problema de saúde pública, precisamos de um novo futuro”, disse.

Já está em andamento uma ação de fiscalização, através da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Rio Grande do Sul (Seapi/RS), que conta com a coleta de material dos parreirais na tentativa de identificar o agrotóxico e buscar as soluções adequadas. O Ibravin vem alertando os órgãos de fiscalização desde 2015.

Na Encosta da Serra, a demanda que teve destaque foi a necessidade de Assistência Técnica e a legalização da produção familiar rural. O agricultor Sadi Somacal, de Guaporé, está investindo na cantina e vê nestes encontros a oportunidade de estar aprimorando seu conhecimento sobre a formalização.

“Desde a época do meu avô sempre tivemos parreirais, mas era para consumo próprio. Agora, eu e meu irmão estamos trabalhando para abrir a cantina com apenas produção de uvas viníferas, e a cartilha do Vinho Colonial nos auxiliará muito para estar dentro do padrão”, completou.

Objetivos do projeto
– Ampliar a presença do Ibravin e suas instituições com viticultores, vinícolas e potenciais empreendedores em distintas regiões do Rio Grande do Sul e em outras localidades brasileiras;

– Estimular o associativismo regional de vitivinicultores e proporcionar a inclusão no sistema vitivinícola;

– Disseminar aspectos legais e de orientação à formalização de vinícolas, seja no modelo do Vinho Colonial para Agricultores Familiares ou pelo Simples Nacional;

– Compreender as demandas e organizar soluções aos desafios identificados com os grupos de vitivinicultores atendidos;

– Orientar produtores à adesão ao Cadastro Vitivinícola;

– Prospectar e encaminhar as demandas específicas de grupos ou associações e cooperativas de vitivinicultores;

– Promover o envolvimento, em cada região, dos diferentes atores públicos e privados que se inter-relacionam com a produção vitivinícola;

– Visitar unidades produtivas representativas dos participantes do evento;

– Relatar de forma sistemática os gargalos tecnológicos, legais e outros das regiões envolvidas.

1542735762-0

Assessoria de Imprensa Ibravin: http://www.ibravin.org.br
Martha Caus: (54) 3538.3048 | (54) 9.8111.4450 – imprensa@ibravin.org.br
Cassiano Farina: (54) 3538.3048 | (54) 9.9937.9027 – imprensa2@ibravin.org.br
Camila Ruzzarin: (54) 3538.3048 | (54) 9.9190.1392 – imprensa3@ibravin.org.br

Prova do MasterChef Profissionais tem espumantes brasileiros como protagonistas

Equilibrados, refrescantes e versáteis. Os espumantes brasileiros são reconhecidos no Brasil e no exterior por sua qualidade e características únicas, reverenciados pela crítica especializada e premiados mundialmente. Uma amostra da diversidade verde-amarela pôde ser conferida na noite de ontem (6), na prova de eliminação da quarta temporada de MasterChef Profissionais, exibido pela Band. A reprise pode ser assistida nesta sexta-feira (9), às 20h30min, pelo Discovery Home & Health, com reapresentação no canal por assinatura no domingo (11), às 18h50min.

Considerado um dos programas de entretenimento mais prestigiados e com maior índice de audiência da televisão brasileira, o talent show desafiou seis competidores a elaborarem pratos que harmonizassem com espumantes de três vinícolas nacionais: Espumante Garibaldi Chardonnay, Salton Évidence e Casa Perini Moscatel. A trinca foi responsável por representar as regiões produtoras brasileiras e as mais de mil empresas existentes no país. Atualmente, cerca de 200 mil pessoas estão envolvidas com a cadeia da uva e do vinho no Brasil.

Com articulação do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), a prova foi apresentada pela jornalista Ana Paula Padrão e avaliada pelos chefs-jurados Henrique Fogaça, Paola Carosella e Erick Jacquin, que elogiaram novamente a qualidade dos rótulos brasileiros.  Representando o Ibravin, o sommelier Maurício Roloff deu dicas gerais de harmonização aos competidores, mostrando que uma das grandes vantagens do Brasil é a elaboração de diferentes estilos de espumantes, o que possibilita maior versatilidade. As mais de 1,5 mil premiações internacionais conquistadas pelas borbulhas verde-amarelas na última década e as exportações brasileiras também foram lembradas pelo especialista.

Além de Roloff, os representantes das vinícolas cotistas, Maiquel Vignatti, Luciana Salton e Franco Perini, retrataram a vitivinicultura nacional aos telespectadores do MasterChef. O trio apresentou os rótulos da prova aos competidores.

“Estamos contentes, mais uma vez, com a repercussão do programa. Está sendo muito positivo para o setor, especialmente por ter sido veiculado em um ano histórico, onde tivemos uma das melhores safras da década e também pela proximidade com as festas de final de ano, o que tende a incentivar o consumo de espumantes”, analisa Oscar Ló, presidente do Ibravin.

O episódio foi gravado neste segundo semestre, nos estúdios da emissora, em São Paulo (SP). Esta foi a segunda participação institucional do setor vitivinícola brasileiro no MasterChef, sendo a primeira na temporada Profissionais. Em abril de 2017, os rótulos nacionais foram tema de uma prova coletiva da quarta temporada da edição Amadores, gravada na Serra Gaúcha. Os cozinheiros elaboraram um menu completo para 80 convidados, que foram harmonizados com dois espumantes e um vinho tranquilo verde-amarelos.

Assessoria de Imprensa Ibravin: www.ibravin.org.br
Martha Caus: (54) 3538.3048 | (54) 9.8111.4450 - imprensa@ibravin.org.br
Cassiano Farina: (54) 3538.3048 | (54) 9.9937.9027 - imprensa2@ibravin.org.br
Camila Ruzzarin: (54) 3538.3048 | (54) 9.9190.1392 – imprensa3@ibravin.org.br

Parceria entre Ibravin e Globo leva espumantes brasileiros a lançamento de novela das nove

O sucesso da parceria entre o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e a Globo em eventos da emissora voltou a se repetir. Na noite de ontem (8), os espumantes brasileiros foram servidos na festa de lançamento da novela das nove “O Sétimo Guardião”, de Aguinaldo Silva. Foram oferecidos cinco rótulos das vinícolas Domno e Garibaldi.

O evento para convidados, entre eles profissionais da imprensa, atores, direção e produção do novo folhetim, ocorreu no espaço EXC Rio, no Rio de Janeiro (RJ). A novela, que estreia na próxima segunda (12), tem no elenco estrelas como Bruno Gagliasso, Antonio Calloni, Marina Ruy Barbosa, Lilia Cabral e Marcos Caruso.

A história, a cultura que envolve o universo vitivinícola brasileiro e a qualidade dos produtos vêm chamando a atenção da emissora nos últimos anos. A parceria espontânea com o Ibravin ocorre desde 2015, quando o vinho foi protagonista do enredo e da festa de lançamento de “Além do Tempo”. Nos anos seguintes, a dobradinha teve bis nos eventos de apresentação das novelas “A Força do Querer” e “Segundo Sol” e também da supersérie “Os Dias Eram Assim”.

“Ficamos felizes em consolidar esta parceria para inserção de rótulos brasileiros nas festas da Globo. A continuidade mostra o reconhecimento dos nossos produtos, que tem agradado os convidados dos eventos com sua qualidade e diversidade”, avalia Diego Bertolini, gerente de Promoção do Ibravin.

Assessoria de Imprensa Ibravin:
Martha Caus: (54) 3538.3048 | (54) 9.8111.4450 – imprensa@ibravin.org.br
Cassiano Farina: (54) 3538.3048 | (54) 9.9937.9027 – imprensa2@ibravin.org.br
Camila Ruzzarin: (54) 3538.3048 | (54) 9.9190.1392 – imprensa3@ibravin.org.br