Inscrições para o Congresso Latino-Americano de Enoturismo abrem nesta quinta-feira

Abrem nesta quinta-feira (29) as inscrições para o 7º Congresso Latino-Americano de Enoturismo, que será realizado de 27 a 30 de junho, no Hotel e Spa do Vinho, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS). As adesões devem ser feitas no site do evento, em www.congressoenoturismo.com.br, até o dia 8 de junho, com vagas limitadas para 250 participantes. O tema desta edição é “Território, vinho e turismo: harmonização que dá certo”.

Os ingressos para a programação de palestras e painéis custam R$ 250 e estudantes têm 50% de desconto. Grupos de 10 pessoas ganham como cortesia a 11ª inscrição. As matrículas coletivas devem ser feitas através do e-mail inscricoes@aconteceeventos.com.br. Além das explanações, o Congresso conta com visitas técnicas por adesão em cinco roteiros enoturísticos da Serra Gaúcha. Os valores para cada uma variam de R$ 120 a R$ 155.

Promovido pela Associação Internacional de Enoturismo (Aenotur), pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, o Congresso contará com seis palestras, três painéis e apresentações de seis cases, que terão tradução simultânea para as línguas portuguesa e espanhola.

Estão confirmadas as palestras internacionais da norte-americana Liz Thach, Master of Wine e professora da Sonoma State University, no Wine Business Institute; do argentino Gabriel Fidel, especialista em enoturismo e presidente da Fundación ProMendoza; e dos europeus José Calixto, presidente da Rede Europeia das Cidades do Vinho (Recevin), e José Arruda, diretor da Associação dos Municípios Portugueses do Vinho (AMPV). Também estão previstos painéis sobre as regiões enoturísticas da América Latina, com representantes do Brasil, Chile e Uruguai; e sobre as políticas e projetos para o desenvolvimento do setor no Brasil, com o Ministério do Turismo, Instituto Brasileiro do Turismo (Embratur), Sebrae e Frente Parlamentar de Defesa da Valorização da Produção Nacional da Uva, Vinho, Espumante e Derivados. As programações ocorrerão pela manhã, com exceção da abertura oficial, que será no turno da tarde.

“O Ibravin, além de promover os produtos vinícolas, tem um compromisso muito grande com o enoturismo. Para o setor, é muito importante que o evento ocorra aqui, pois fomentará o turismo da região e ajudará na consolidação da cadeia junto aos formadores de opinião de diferentes países que estarão durante a realização do evento”, acredita Oscar Ló, presidente do Ibravin.

O encerramento oficial do Congresso Latino-Americano de Enoturismo será no dia 29 de junho, com a realização da 3ª edição do Wine Festival. A iniciativa promovida pelo Ibravin será aberta ao público, na Rua Coberta, próxima à Casa das Artes, também na cidade de Bento Gonçalves. Haverá shows, food trucks e venda vinhos e sucos em taça e garrafa. No sábado (30), será realizada a última visita a um dos roteiros enoturísticos da programação. Os destinos turísticos que receberão os congressistas são o Vale do Vinhedos, Pinto Bandeira, Garibaldi, os distritos bento-gonçalvenses de Tuiuty e Faria Lemos e os municípios de Farroupilha e Flores da Cunha.

Além dos realizadores, Aenotur, Ibravin e Governo do Estado do Rio Grande do Sul, o 7º Congresso Latino-Americano de Enoturismo tem o patrocínio do Hotel e Spa do Vinho.

SERVIÇO

7º Congresso Latino-Americano de Enoturismo
Quando:
27 a 30 de junho de 2018
Onde: Hotel e Spa do Vinho (Rodovia RS-444, km 21), em Bento Gonçalves (RS)
Inscrições: até o dia 8 de junho, pelo site www.congressoenoturismo.com.br. Grupos acima de 10 participantes devem se inscrever através do e-mail recepcao@aconteceeventos.com.br (para obtenção de cortesia)
Valores: R$ 250 (estudantes têm 50% de desconto). Visitas técnico-turísticas custam R$ 120 (quinta e sexta-feira) e R$ 155 (sábado), cada
Informações: inscricoes@aconteceeventos.com.br

1522266255-0

Assessoria de Imprensa Ibravin: www.ibravin.org.br
Martha Caus: (54) 3538.3048 | (54) 9.8111.4450 – imprensa@ibravin.org.br
Cassiano Farina: (54) 3538.3048 | (54) 9.9937.9027 – imprensa2@ibravin.org.br
Camila Ruzzarin: (54) 3538.3048 | (54) 9.9190.1392 – imprensa3@ibravin.org.br

Anúncios

Vinhos e espumantes brasileiros arrematam medalhas no Bacchus

O XVI Concurso Internacional de Vinhos – Bacchus 2018 amplia o ranking de medalhas dos vinhos e espumantes brasileiros. Foram duas Medalhas de Ouro e três de Prata, num universo de 1.740 amostras de 20 países, avaliadas por 82 degustadores. O concurso foi realizado de 8 a 12 de março, em Madri.

 O diretor da Associação Brasileira do Enologia (ABE), enólogo Michel Zignani, representou o Brasil no júri. Segundo ele, o Bacchus é o concurso de referência dos vinhos espanhóis, embora haja uma grande diversidade de países participantes. “É um concurso muito técnico, com um quadro de jurados multidisciplinar nas áreas do vinho, formado por enólogos, jornalistas especializados, master of wine e coordenadores de outros concursos internacionais. O nível de exigência é bastante alto. Percebe-se que é priorizado a elegância e a fineza dos vinhos em detrimento da potência”, relata.

 O Bacchus 2018 homenageou a República Tcheca, que apresentou seus vinhos mais emblemáticos durante a cerimônia de abertura realizada na embaixada do país na capital espanhola.

 PREMIAÇÕES

Medalha de Ouro

Garibaldi Espumante Moscatel – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Casa Valduga Gran Leopoldina Chardonnay DO 2017 – Casa Valduga Vinhos Finos

Medalha de Prata

Casa Valduga Identidade Gran Corte 2012  – Casa Valduga Vinhos Finos

Aurora Reserva Chardonnay 2017 – Cooperativa Vinícola Aurora

Miolo Terranova Brut – Miolo Wine Group Vitivinicultura

FONTE: Conceito Com Brasil

Vinícolas brasileiras fecham negócios de US$ 1,6 milhão na ProWein

Os mais de 500 atendimentos realizados apenas no Sparkling Brasil Lounge nos três dias de realização da ProWein, maior feira mundial em vinhos, encerrada ontem, dia 20, em Düsseldorf, na Alemanha, e a sala cheia durante a palestra realizada no fórum do evento demonstram que a estratégia de focar no espumante como carro-chefe do setor vitivinícola nacional foi acertada.

As 11 vinícolas brasileiras brindaram os resultados na 14ª participação do projeto na feira. Contabilizaram um aumento de, aproximadamente, 30% nos atendimentos comerciais, com visitantes de 17 países e uma projeção de negócios para os próximos 12 meses 60% maior em relação à edição do ano passado, podendo chegar a US$ 1,6 milhão. A participação das empresas foi viabilizada pelo projeto setorial Wines of Brasil, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) – por meio do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura do Rio Grande do Sul (Fundovitis) –, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O estande também foi apoiado pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (SDECT/RS).

“O mercado tem demonstrado um reconhecimento cada vez maior do Brasil como referência na elaboração de espumantes dentre os países do hemisfério sul”, explica o gerente de Promoção do Ibravin, Diego Bertolini. “A feira foi um sucesso. Além das empresas terem acertado parcerias com novos importadores, fecharam boas vendas durante o próprio evento”, comemora.

Além de compradores dos países-alvo do projeto – Estados Unidos, Reino Unido e China – o estande recebeu visitantes da Irlanda, Suíça, Holanda, Suécia, Portugal, Bélgica, Emirados Árabes, Israel e França. Sobre esse último território, Bertolini informa que algumas vinícolas brasileiras fecharam com importadores para esse concorrido mercado. “O interesse no espumante brasileiro tem sido cada vez maior e acaba surpreendendo positivamente os compradores e também os consumidores”, analisa o gerente. No ano passado, apenas uma das empresas expositoras exportou 12 mil garrafas para a França.

O dirigente também cita o destaque do trade e da imprensa internacional para o espumante brasileiro, afirmando que ‘the next great bubbles comes from Brazil’ (em tradução livre, as próximas grandes borbulhas vêm do Brasil).

Sobre o Wines of Brasil         
Criado em 2002, o Wines of Brasil é uma iniciativa de promoção comercial dos vinhos e espumantes brasileiros no mercado externo, desenvolvido entre o Ibravin e a Apex-Brasil. O projeto conta atualmente com a participação de 42 vinícolas e têm como mercados-alvo os Estados Unidos, Reino Unido e China. Nos últimos anos, cerca de 95% das empresas que aderiram a iniciativa conseguiram dar continuidade em suas exportações, devido ao suporte e aos programas de capacitação oferecidos e o trabalho setorial de consolidação da imagem dos rótulos nacionais no Exterior. Mais informações podem ser obtidas nos sites www.winesofbrasil.com e www.ibravin.org.br.
wein

Assessoria de Imprensa Ibravin: www.ibravin.org.br
Martha Caus: (54) 3538.3048 | (54) 9.8111.4450 – imprensa@ibravin.org.br
Cassiano Farina: (54) 3538.3048 | (54) 9.9937.9027 – imprensa2@ibravin.org.br
Camila Ruzzarin: (54) 3538.3048 | (54) 9.9190.1392 – imprensa3@ibravin.org.br

Peterlongo desembarca no Equador, México e Venezuela

Depois da China, Colômbia e Paraguai, agora é a vez da Vinícola Peterlongo, de Garibaldi (RS) erguer as taças no Equador, México e Venezuela. A centenária comemora a expansão de sua presença na América do Sul e do Norte e já ensaia abertura no Peru ainda neste ano. Em 2017, a empresa exportou 185.480 litros.

 

Única vinícola atualmente a exportar para o Equador e a Venezuela, a Peterlongo aposta na expansão de sua atuação na América do Sul com o fortalecimento nos países já presente, além da abertura de novos mercados. O supervisor de Exportação da vinícola, Ismael Tomedi, explica que a estratégia está focada nesta região justamente pelo perfil dos consumidores. “Quem vive em países da América Latina tem hábitos parecidos. O estilo de vida favorece o consumo de bebidas mais descontraídas como é o caso do espumante”, destaca.

 Para esses três novos mercados, a vinícola exportou um mix que inclui espumantes, vinhos finos, frisantes, suco de uva e filtrado doce. A maior remessa ocorreu em dezembro, quando cinco containers foram enviados para o Equador. Mesmo assim, a Colômbia continua sendo o destino número um de exportações da Peterlongo, responsável por 50% de todo volume que a vinícola manda para o exterior (2017).

 O sócio diretor da Peterlongo, Luiz Carlos Sella, comemora o fortalecimento da marca no mercado internacional. “Na década de 1940 a Peterlongo chegou com seus primeiros produtos ao mercado internacional. Na época, tornou-se marca conhecida em redes de lojas americanas. Essa trajetória internacional vem sendo retomada nos últimos anos, com nossa chegada a países da América Latina e Ásia. Estamos focados em investimentos para conquistar novos mercados e fortalecer os já existentes”, afirma.

 Na segunda quinzena de março, Sella e Tomedi viajam para a Alemanha para prospectar negócios durante a Prowein Trade Fair, maior feira do mundo do setor de vinhos. Na ocasião, a Peterlongo apresentará lançamentos ao mercado internacional, além de buscar novidades e tendências, mantendo a vinícola em sintonia com o mercado global. A feira acontecerá de 18 a 20 de março na cidade de Düsseldorf.

FONTE: Conceito Com Brasil

Setor vinícola retoma vendas e encerra 2017 com alta de 5,6%

Com uma retomada iniciada no terceiro trimestre e que ganhou fôlego nos últimos três meses do ano, o setor vitivinícola terminou 2017 com dados positivos, apresentando crescimento de 5,67% nas vendas no mercado interno. No total, foram comercializados 363.184.941 litros de vinhos, espumantes, sucos e outros derivados da uva.

Nos vinhos tranquilos, as vendas ficaram positivas em 2,19%, com 189,3 milhões de litros comercializados. Os vinhos espumantes ampliaram o volume em 3,22%, com 17,4 milhões de litros, e os sucos de uva 100% prontos para consumo foram os itens que mostraram melhor desempenho, com expansão de praticamente 16% ante o ano anterior, com 109 milhões de litros vendidos.

“O início do ano foi bem difícil, pois vínhamos de uma quebra de safra recorde (ocorrida em 2016), que aumentou os custos de produção, diminuiu a oferta de produtos, junto com uma crise econômica e política que deixou o mercado bastante retraído. Essa conjuntura começou a se dissipar apenas a partir do terceiro trimestre”, observa o presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Oscar Ló. “A partir daí, os espumantes e os sucos, produtos em que temos maior competitividade, já estavam com vendas melhores que em 2016, mas foram os últimos três meses do ano que recuperamos os resultados de fato”, complementa o dirigente.

No ano passado, 32% do total das comercializações foram efetivadas entre outubro e dezembro. Marcio Ferrari, vice-presidente do Ibravin, observa que, a partir da metade do ano, com o ingresso dos produtos elaborados a partir da nova safra – recorde histórico no Rio Grande do Sul, com 753 milhões de quilos – houve um arrefecimento nos custos e, por consequência, nos preços ofertados ao consumidor, assim como uma melhoria na perspectiva econômica no país. Com o resultado, no mercado doméstico, os rótulos nacionais mantiveram a participação de 61,5% nas vendas de vinhos e de 71% nos espumantes.

Somando as vendas dos produtos brasileiros com os volumes de importação, o mercado de vinhos ampliou em 13%. No ano passado, ingressaram no país aproximadamente 125,8 milhões de litros de vinhos e espumantes, representando alta de 36,6% ante 2016. O suco de uva, por sua vez, recuou 18,7%, com o ingresso de 226,5 mil litros.

Para esse ano, a perspectiva é de ampliação dos resultados positivos iniciados no último trimestre de 2017 devido à normalização dos estoques e aos produtos elaborados a partir da safra 2018, considerada de excelência em qualidade. Entretanto, para ampliar a competitividade mercadológica, o setor trabalha pela retirada do vinho do regime de Substituição Tributária (ST).

No início do mês, durante o lançamento da Wines South America, feira internacional que será realizada em setembro, em Bento Gonçalves, Ló fez um pedido para que o governo do Rio Grande Sul lidere um movimento pelo fim da ST. “O Rio Grande do Sul, como maior produtor de uvas e vinhos do país, tem que dar o exemplo junto ao Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária). Não estamos pedindo redução de alíquotas, embora este também seja um grande pleito do setor. O que buscamos é alteração na forma de cobrança do ICMS, que pelo regime estabelecido onera principalmente as empresas vinícolas. Diversas unidades da Federação já estão alterando sua legislação e eliminando a ST, já que com os atuais instrumentos existentes para o controle fiscal, a cobrança antecipada do tributo não se justifica. Temos certeza que com esta medida, não haverá perda de arrecadação e poderá estabelecer um estímulo para ampliar ainda mais as vendas no mercado interno”, defendeu. Os estados da Bahia, Pernambuco, Goiás, Maranhão e Pará já retiraram o mecanismo da ST para os vinhos.
Dados de destaque:

– No mercado interno o setor vitivinícola ampliou as vendas em 5,67%.

– Na categoria de vinhos tranquilos, que ficou com alta de 2,19% no ano, a retomada da comercialização ocorreu no último trimestre. Entre outubro e dezembro as vendas cresceram 32% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

– A participação de mercado dos rótulos nacionais de vinhos tranquilos ficou em 61,5%.

Assessoria de Imprensa Ibravin: www.ibravin.org.br
Martha Caus: (54) 3538.3048 | (54) 9.8111.4450 – imprensa@ibravin.org.br
Cassiano Farina: (54) 3538.3048 | (54) 9.9937.9027 – imprensa2@ibravin.org.br
Camila Ruzzarin: (54) 3538.3048 | (54) 9.9190.1392 – imprensa3@ibravin.org.br

Espumante é a aposta brasileira na maior feira mundial de vinhos

O Brasil reforçará ao mundo do vinho a vocação do país para a elaboração de espumantes. A participação das vinícolas brasileiras na maior feira do segmento, a ProWein Alemanha, em Düsseldorf, de 18 a 20 de março, focará na promoção e prospecção de negócios que devem chegar a US$ 1 milhão nos próximos 12 meses, com as borbulhas liderando as atenções e estratégias das 11 empresas que estarão no estande verde-amarelo, no hall 9 – G28. A ação é do projeto setorial Wines of Brasil, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), por meio do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura do Rio Grande do Sul (Fundovitis), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Está é a 14ª participação consecutiva das vinícolas na feira.

Entre as novidades desta edição e alinhada com o objetivo do projeto setorial está o lounge Sparkling Brasil, com degustação de 22 rótulos de espumantes, de 12 empresas, conduzidas pelo sommelier brasileiro Maurício Roloff. As vinícolas verde-amarelas que estarão no estande coletivo são Aurora, Casa Perini, Casa Valduga, Don Guerino, Góes, Lidio Carraro, Miolo, Mioranza, Peterlongo, Pizzato e Salton, além da Nova Aliança, que participará apenas com produto no Sparkling Brasil.

Também será a primeira vez que os produtores brasileiros estarão representados no ProWein Forum. Às 10h do dia 18, os representantes do projeto setorial conduzirão uma degustação de espumantes verde-amarelos e apresentarão a produção nacional.

“Vamos reforçar a qualidade e a diversidade dos nossos espumantes, algo já reconhecido e validado pela crítica e pelo próprio trade internacional, posicionando-os como carros-chefes da produção brasileira. Em 2017 retomamos o crescimento nas exportações, com um incremento de 47,5% na venda da bebida”, informa o gerente de Promoção do Ibravin, Diego Bertolini.

A participação na feira, segundo Bertolini, é valorizada em função de reunir os principais compradores dos países que são mercados-alvo do Wines of Brasil – Estados Unidos, China e Reino Unido – e também de importadores da América Latina. “A ProWein reúne players do mundo inteiro e a nossa participação de forma conjunta deverá trazer ótimos resultados, tanto em negócios como em imagem”, acredita.

Em 2017, a Alemanha foi o 10º principal destino das exportações de vinhos e espumantes brasileiros, com mais de 20 mil litros, em negócios que ultrapassaram a marca de US$ 117,5 mil. “É importante ressaltar o valor médio por litro exportado, que foi de US$ 5,70 e mostra que estamos posicionados numa categoria de produtos com maior valor agregado, tanto em espumantes como em vinhos tranquilos”, aponta.

Após a participação na ProWein, um grupo de 14 pessoas, de sete vinícolas brasileiras, realizará uma missão técnica na Itália, nas regiões de Conegliano e Treviso. De 21 a 23 deste mês, integrantes do Wines of Brasil e das empresas Aurora, Casa Perini, Casa Valduga, Góes, Miolo, Peterlongo e Salton farão visitas em vinícolas, em roteiros enoturísticos e na Escola de Enologia de Conegliano. O objetivo é conhecer a produção das empresas, as experiências dos empreendimentos com o turismo e as formas de atrair visitantes para os roteiros de vinhos no Brasil.

ProWein 2018 em números          
A ProWein 2018 terá a presença de 6,7 mil expositores, de 61 países. Serão mais de 300 regiões vitivinícolas representadas e cerca de 500 eventos, incluindo sessões de degustações guiadas, seminários e apresentações.

Sobre o Wines of Brasil
Criado em 2002, o Wines of Brasil é uma iniciativa de promoção comercial dos vinhos e espumantes brasileiros no mercado externo, desenvolvido entre o Ibravin e a Apex-Brasil. O projeto conta atualmente com a participação de 42 vinícolas e têm como mercados-alvo os Estados Unidos, Reino Unido e China. Nos últimos anos, cerca de 95% das empresas que aderiram a iniciativa conseguiram dar continuidade em suas exportações, devido ao suporte e aos programas de capacitação oferecidos e o trabalho setorial de consolidação da imagem dos rótulos nacionais no Exterior. Mais informações podem ser obtidas nos sites www.winesofbrasil.com e www.ibravin.org.br.

espum
Assessoria de Imprensa Ibravin: www.ibravin.org.br
Martha Caus: (54) 3538.3048 | (54) 9.8111.4450 – imprensa@ibravin.org.br
Cassiano Farina: (54) 3538.3048 | (54) 9.9937.9027 – imprensa2@ibravin.org.br
Camila Ruzzarin: (54) 3538.3048 | (54) 9.9190.1392 – imprensa3@ibravin.org.br

Brasil conquista nove medalhas em concurso na Grécia

Agora já são 25 medalhas conquistadas pelos vinhos e espumantes brasileiros somente neste ano. Desta vez a boa notícia vem da Grécia, onde os rótulos nacionais receberam quatro Medalhas de Prata e cinco de Bronze. Foi no Thessaloniki International Wine Competition 2018, realizado de 27 de fevereiro a 01 de março.

 O evento reuniu 746 amostras provenientes da Alemanha, Brasil, Chipre, Geórgia, Grécia e Turquia. Foram 30 degustadores de oito países, sendo que o Brasil esteve representado pelo enólogo André Peres Júnior, vice-presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), única entidade fora da União Europeia com representação no painel de avaliadores.

O enólogo destaca a mudança no formato da degustação, que fugiu um pouco das tradicionais regras da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV). “Todos os presidentes de mesa eram Masters of Wine, e o sistema de pontuação foi alterado de forma que um vinho só poderia ganhar medalha se houvesse consenso entre todos os membros do júri, e não com a nota média simplesmente. Esse formato permitiu uma maior interação entre os jurados e a garantia de que um vinho premiado tivesse sua qualidade reconhecida por todos os degustadores”, explica.

 PREMIAÇÕES

 Medalha de Prata

Garibaldi Espumante Moscatel Rosé – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Garibaldi Espumante Moscatel – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Aurora Reserva Chardonnay 2017 – Cooperativa Vinícola Aurora

Conde de Foucald Espumante Brut – Cooperativa Vinícola Aurora

 Medalha de Bronze

Aurora Reserva Cabernet Sauvignon 2016- Cooperativa Vinícola Aurora

Conde de Foucauld Brut Rosé – Cooperativa Vinícola Aurora

Garibaldi Espumante Prosecco – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Garibaldi Espumante Chardonnay – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Garibaldi Espumante Pinot Noir – Cooperativa Vinícola Garibaldi

 Grécia

Foto: Divulgação ABE