Frente Parlamentar de apoio à vitivinicultura tem nova coordenação

A Frente Parlamentar de Defesa e Valorização da Produção Nacional de Uvas, Vinhos, Espumantes e Derivados passa a ser coordenada pelo deputado federal Afonso Hamm. O evento que marcou a posse do parlamentar gaúcho ocorreu na tarde desta quarta-feira (27), em Brasília (DF), e contou com a participação de cerca de 150 pessoas, entre dirigentes do setor, congressistas, representantes dos ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), da Fazenda, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), da Embrapa e do Sebrae.

O ato foi prestigiado por 20 deputados, entre eles o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pelo governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, pelos senadores gaúchos Ana Amélia Lemos e Lasier Martins e pelo presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos.

O deputado Afonso Hamm valorizou a parceria da frente com o segmento vitivinícola, sob a liderança do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), que tem permitido conquistas importantes como a inclusão das vinícolas no Simples Nacional. “O que buscamos é aumentar a capacidade competitiva do vinho brasileiro, em especial com a redução do IPI, e dar condições para o desenvolvimento ainda maior deste setor, desde o produtor de uva até a indústria. Na área de promoção e marketing, vamos ampliar o trabalho em conjunto com os ministérios e com as embaixadas, tornar as regiões produtoras mais conhecidas e valorizar a qualidade dos nossos vinhos, sucos e espumantes”, garantiu.

O presidente do Sindicato da Indústria do Vinho, do Mosto de Uva, dos Vinagres e Bebidas Derivados da Uva e do Vinho do Rio Grande do Sul (Sindivinho-RS), Benildo Perini, reforçou o pedido para que a frente atue para reduzir a tributação do vinho, que pode chegar a 60% do valor total do produto. O dirigente enfatizou a necessidade de diminuir a alíquota do IPI, que hoje está fixada em 10%. “Esperamos que esse índice baixe para que tenhamos maior competitividade e para que possibilite uma retomada no crescimento das vendas no mercado interno”, sinalizou.

O diretor de Relações Institucionais do Ibravin, Carlos Paviani, apresentou uma das demandas do setor para a atualização da Lei do Vinho, que inclui a revisão de alguns conceitos e definições e a inclusão na legislação de novas tecnologias.

Representando os produtores de uva, o ex-presidente do Ibravin, Moacir Mazzarollo, que integra o Conselho Deliberativo da entidade pela Comissão Interestadual da Uva, atentou para a urgência de implantação do Cadastro Vitivinícola nacional, semelhante ao que já existe no Rio Grande do Sul. Segundo ele, o cadastro é uma ferramenta importante no desenvolvimento da vitivinicultura nos demais estados, ajudando a mapear a produção e desenvolver tecnologias específicas para cada região. “Neste sentido é importante o trabalho desta frente, para que busque junto ao governo esses avanços que devem beneficiar toda a cadeia produtiva, que tem em sua base o trabalho majoritariamente de agricultores familiares”, destacou.

Formada no final de 2015, a frente parlamentar tem trabalhado na defesa das pautas do setor. Entre as principais conquistas, está a inclusão das micro e pequenas vinícolas no Simples Nacional. A partir de 2018, as empresas que enquadram nas faixas de faturamento poderão optar pelo regime simplificado de tributação. O grupo também articulou junto ao Governo a utilização de vinhos brasileiros em eventos do Palácio do Planalto. O foco do trabalho nos próximos meses será a criação de um Fundo Nacional de Difusão da Vitivinicultura, semelhante ao Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura (Fundovitis), do Rio Grande do Sul.

Durante a transferência de cargo, o deputado Mauro Pereira agradeceu aos parlamentares presentes o apoio ao setor nos quase dois anos em que esteve na coordenação. “É um setor que merece toda a nossa atenção, que gera emprego, renda e que precisa a continuidade neste trabalho no Congresso em prol de novos avanços”, disse.

“A Frente Parlamentar implementada pelo deputado Mauro Pereira trouxe grande visibilidade do setor junto ao governo federal, que resultou na conquista do Simples para a vitivinicultura”, reconheceu o diretor do Ibravin, Carlos Paviani.

1506550370-0
Assessoria de Imprensa Ibravin: www.ibravin.org.br

Anúncios

Espumante brasileiro de R$ 43,50 é escolhido o 5º melhor vinho do mundo

O espumante brasileiro Casa Perini Moscatel, da vinícola Perini, foi o escolhido como o quinto melhor vinho do mundo pela Associação Mundial de Jornalistas e Escritores de Vinhos e Licores (WAWWJ). Ele custa R$ 43,50.

No total, 11 vinhos brasileiros aparecem entre os 150 melhores do mundo na lista. Todos os brasileiros do ranking são espumantes. Seus preços variam de R$ 30 a R$ 117.

O ranking é elaborado com base em concursos mundiais de bebidas disputados entre fevereiro de um ano e janeiro do ano seguinte. Assim, a lista de 2017 é elaborada com base em concursos disputados, em sua maioria, ao longo de 2016.

Entre esses concursos, estão o Vinalies Internationales, da França, e o International Wine Challenge, do Reino Unido. As pontuações dos vinhos variam de acordo com a importância relativa do concurso e a posição de cada rótulo dentro deles.

vinhos-brasileiros-em-lista-dos-melhores-da-pela-associacao-mundial-de-jornalistas-e-escritores-de-vinhos-e-licores-wawwj-1506543666780_615x300

ABE lança 9ª edição da Revista Brasileira de Viticultura e Enologia

Em 130 páginas, a 9ª edição da Revista Brasileira de Viticultura e Enologia traz 15 trabalhos inéditos nas áreas da Viticultura, Enologia, Turismo e Gestão. O conteúdo científico foi colocado nas mãos dos profissionais da cadeia produtiva da uva e do vinho no dia 23 de setembro, quando a publicação foi apresentada durante a 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017, e agora será distribuído para todo quadro social da Associação Brasileira de Enologia (ABE), além de universidades, escolas e associações de enólogos de outros países, bem como institutos de pesquisa e demais instituições de ensino.

Editada pela ABE desde 2009, a revista acaba de romper a barreira dos 100 artigos. Única no país, a publicação técnica já soma 108 trabalhos inéditos, estando presente no âmbito do estudo, além de ser uma vitrine para pesquisadores ávidos por novas descobertas. “Assim como o vinho evolui dia após dia, nós, enólogos, também precisamos evoluir enquanto profissionais da arte de transformar a uva em vinho. Esta edição é mais uma ferramenta que a Associação Brasileira de Enologia coloca nas mãos dos profissionais que atuam no setor”, destaca o presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna, que reforça a importância da publicação para fomentar a pesquisa e alimentar o conhecimento de quem, de alguma forma, está intimamente ligado à cadeia produtiva da uva e do vinho.

 Das áreas iniciais de Viticultura e Enologia, a publicação foi ampliando horizontes e traz neste número um trabalho na área do Turismo e dois em Gestão. Flexível e aberta aos movimentos do mercado, a Revista Brasileira de Viticultura e Enologia é o espelho do que vem ocorrendo no setor. O desenvolvimento do enoturismo é um dos exemplos, o que amplia a importância da atividade no meio. A necessidade de uma gestão eficiente, com envolvimento, inclusive, do enólogo, cada vez mais multifuncional, expõe outra área de estudo. Assim, a entidade vai construindo um acervo de pesquisas altamente relevantes para a prática do enólogo no vinhedo, na cantina, no marketing e na área comercial.

 Com periodicidade anual e tiragem de 2,5 mil exemplares, a publicação é orientada pelo editor-chefe Dr. Alberto Miele. O PDF das edições anteriores pode ser acessado no site www.enologia.org.br.

 Comissão organizadora

Edegar Scortegagna, Alberto Miele, André Peres Jr., Christian Bernardi, Cláudia Stefenon, Dario Crespi, Juliano Perin, Luciano Vian, Samuel Cervi.

 Comitê editorial

Dr. Alberto Miele (Editor-Chefe), Dr. Carlos Eugênio Daudt, Dra. Cláudia A. Stefenon, Dr. Celito Crivellaro Guerra, Dr. Eduardo Giovannini, Dr. Erasmo José Paioli Pires, Dr. Jean Pierre Rosier, Dr. Luciano Manfroi, Dr. Maurilo Monteiro Terra, Dra. Regina Vanderlinde, Dr. Sérgio Ruffo Roberto e Dr. Vitor Manfroi.

Foto - Lucinara Masiero

Fonte: Conceito com Brasil

Cooperativa Vinícola Garibaldi tem o maior número de produtos entre os melhores do mundo no ranking da WAWWJ

1, 2, 3. Isso mesmo, 3 espumantes da Cooperativa Vinícola Garibaldi são destaque no ranking dos 150 melhores vinhos do mundo, elaborado pela Associação Mundial de Jornalistas e Escritores de Vinhos e Licores (WAWWJ), divulgado nesta semana. E não para por aí, o Chardonnay Brut, o Moscatel e o Prosecco da cooperativa podem ser encontrados por um preço médio de R$ 36 em quase todo o Brasil, ou seja, uma das melhores relações custo x benefício dos melhores do mundo.

Há cinco anos, desde a criação do certame, a Garibaldi consolida seu know how na elaboração de borbulhas de excelente qualidade, despontando oito vezes entre os melhores do mundo. Neste ano, os três espumantes estão entre as 40 primeiras posições do ranking.

O ranking dos melhores vinhos e espumantes do mundo é construído tendo por base a importância relativa e a posição de cada rótulo dentro dos principais concursos do mundo. Além dos espumantes, a Cooperativa está presente na lista das 100 melhores vinícolas do mundo, reforçando a qualidade do trabalho desenvolvido. No ranking dos melhores países produtores de vinhos, que conta com 57 inscritos, o Brasil ocupa a 12ª posição.

 Sobre a Cooperativa Vinícola Garibaldi

Presente há 86 anos no cenário da vitivinicultura brasileira e com grande preocupação ambiental, a Garibaldi leva ao público um tradicional e moderno conceito de sustentabilidade, produzindo o melhor com respeito ao ecossistema e alinhado com a demanda de consumo, feito que resultou em inúmeras premiações no mundo inteiro. Atualmente, possui 370 famílias associadas, de 12 municípios gaúchos, responsáveis pelo cultivo de 900 hectares de vinhedos. Outras informações sobre a vinícola podem ser obtidas no sitewww.vinicolagaribaldi.com.br.

Fotos Rafael Torres Atz

Vinícola Aurora lança azeite extra virgem chileno na linha Pequenas Partilhas Notáveis da América

Vinícola Aurora, maior e mais premiada vinícola brasileira, lança azeite extra virgem, elaborado no Chile. Pequenas Partilhas Meio Dia Notáveis da América chega ao mercado em duas opções de embalagem: em garrafas de 500 ml de vidro escuro com o prático bico dosador vai e vem e em kits com 12 garrafinhas de 15 ml, ideais para consumir em doses únicas ou para presentear.

O novo azeite dá sequência ao projeto de ampliação da linha Pequenas Partilhas Notáveis da América, lançada em 2015 com vinhos tintos de uvas ícones de 4 países produtores sul-americanos: Cabernet Franc do Brasil, Carmenère do Chile, Malbec da Argentina e Tannat do Uruguai. “Essa marca nasceu para levar ao mercado itens que tenham sinergia entre si e alta qualidade, além de enquadrarem-se no conceito de América do Sul que imprimimos nessa linha”, afirma Rosana Pasini, gerente de Importação e Exportação da Vinícola Aurora. “O objetivo desse projeto é o de atender aos clientes que apreciam produtos com diferenciais de qualidade, prezando pela saúde e bem estar, em todo o Brasil”, completa Rosana, explicando que a opção de integrar a linha com azeite se deu em razão dessa sinergia natural e histórica entre vinho e azeite. A escolha do Chile entre os países do continente para ser o fornecedor do azeite deveu-se às suas privilegiadas condições naturais e fitosanitárias. A região central do Chile em que as olivas são cultivadas possui condições climáticas e solo muito similares aos da bacia do Mediterrâneo. Terrenos férteis, com alto nível de exposição à luz solar e uma grande amplitude térmica entre o dia e a noite são fatores muito favoráveis para o cultivo de azeitonas, que resultam em azeites de qualidade, reconhecidos mundialmente.

 O azeite extra virgem Pequenas Partilhas Meio Dia Notáveis da América é elaborado no Vale do Maule, com as variedades picual (70%) e arbequina (30%), e tem um índice de acidez máxima de 0,2%. É um azeite extra virgem de alta gama, muito bem equilibrado (com a picância da picual e a suavidade da arbequina) e agradável ao paladar, ideal para enriquecer o sabor de folhas verdes fortes, carnes vermelhas grelhadas e para compor vários tipos de molhos. Estará em breve à venda em lojas, empórios, restaurantes e em grandes redes de varejo de todo o Brasil.

 Cooperativa Vinícola Aurora

Visite o site: www.vinicolaaurora.com.br

SAC: 0800 701 4555

Matriz Bento Gonçalves (RS): (54) 3455-2000

Filial São Paulo: (11) 3051-6124

Escritórios e representantes em todo o território nacional

azeite_pequenas_partilhas_chile

A qualidade dos vinhos brasileiros na maior degustação do planeta

 A maior degustação de vinhos de uma safra do mundo chegou a sua 25ª edição. Cerca de mil pessoas de todo o Brasil e do exterior degustaram na taça as 16 amostras mais representativas de vinhos brasileiros da Safra 2017, no momento mais aguardado pelo setor vitivinícola. A 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017, realizada neste sábado, 23, no iniciativa da Associação Brasileira de Enologia (ABE).

Com 327 amostras inscritas por 59 vinícolas de seis estados brasileiros (Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo), esta é a maior Avaliação dos últimos quatro anos. O ranking dos 30% mais representativos, ou seja, 103 vinhos, foi anunciado ao final do evento como resultado da degustação de seleção realizada durante o mês de agosto por 118 enólogos, que às cegas, seguiram normas internacionais sob a coordenação da Embrapa Uva e Vinho. Dentre este seleto grupo, 16 vinhos foram selecionados entre os mais representativos para serem degustados pelo grande público na maior celebração dos vinhos do Brasil. Coube ao presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna, revelar quais foram os 16 vinhos degustados.

O ritual se repete há 25 anos“Sabemos que todo vinho tem marca. Para nós, a marca da dedicação de um enólogo. Assim é a Avaliação Nacional de Vinhos. Um evento que carrega a marca do vinho brasileiro. Nós, da Associação Brasileira de Enologia, nos unimos e evoluímos ao longo do tempo. São 40 anos bem vividos e, continuamos conservados; preservamos muitos dos nossos aromas. Evoluímos para nos tornarmos um exemplar cheio de tipicidade institucional. Assim, criamos e maturamos a Avaliação Nacional de Vinhos, sendo decisivos na evolução qualitativa da bebida no Brasil. Fizemos isso porque somos os enólogos de um país que é por natureza vários países. Somos os enólogos do Brasil, da Associação Brasileira de Enologia, da Avaliação Nacional de Vinhos”, destacou o presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna. e a cada safra a expectativa é sempre grande. O evento é reconhecido por sua proximidade com a cadeia produtiva da uva e do vinho, de modo que contribui para que a produção do vinho brasileiro evolua em qualidade, tecnologia e reconhecimento. Portanto, um dos legados da Avaliação é nortear produtores e enólogos na escolha de variedades de uvas, técnicas de elaboração e lançamento de produtos. “O que o público degustou na taça é a antecipação do que estará no mercado a partir do próximo ano”, salienta Scortegagna.

O evento também foi marcado pelo brinde dos 25 anos da Avaliação Nacional de Vinhos, compartilhado por todos os presentes. E como todos os anos, a Avaliação surpreende os participantes dentro e fora da taça, a atração final ficou por conta da Banda Cabelo Cacheado com o talento de Laura Dalmás, participante do The Voice Brasil 2016.

Troféu Vitis 2017

Desde 1993, a ABE homenageia figuras que dedicam seu tempo, conhecimento e talento para a promoção e valorização do vinho brasileiro. Neste ano, a entidade entregou o Troféu Vitis Amigo do Vinho 2017para a sommelier internacional e jornalista Andréia Debon, editora da Revista Bon Vivant, especializada no mundo do vinho. Ela também participa como jurada em degustações e concursos de vinhos no Brasil e no exterior, viajando para países produtores e com potencial enoturístico. E o Troféu Vitis Destaque Enológico 2017 foi entregue à enóloga Maria Regina Ferreto Flores, hoje diretora técnica da LNF Latino Americana. Maria Regina foi professora na então Escola Agrotécnica Federal e enóloga-chefe da Cooperativa Vinícola Aurora de 1984 a 1995.

16 AMOSTRAS DEGUSTADAS E SEUS COMENTARISTAS

Categoria Vinho Base para Espumante

Chardonnay/Riesling Itálico – Chandon (Garibaldi – RS) – Flávio Zílio

Chardonnay – Casa Valduga (Bento Gonçalves – RS) – Junko Iwamoto

Chardonnay – Domno do Brasil (Garibaldi – RS) – Álvaro Cézar Galvão

Categoria Branco Fino Seco Não Aromático

Riesling Itálico – Cooperativa Vinícola Aurora (Bento Gonçalves – RS) – Fabiana Gonçalves Mignot

Chardonnay – Vinícola Almadén (Santana do Livramento – RS) – Danio Braga

Chardonnay – Vinícola Cave de Pedra (Bento Gonçalves – RS) – Maria Regina Ferreto Flores

Categoria Branco Fino Seco Aromático

Sauvignon Blanc – Vinícola Fazenda Santa Rita (Vacaria – RS) – Alessandra Kianek

Moscato Giallo – Cooperativa Vinícola São João (Farroupilha – RS) Odila Moraes

Categoria Tinto Fino Seco Jovem

Cabernet Franc – Vinícola Salton (Bento Gonçalves – RS) – Márcia Monteiro

Categoria Tinto Fino Seco

Petit Syrah – Luiz Argentina Vinhos Finos (Flores da Cunha – RS) – Paulo Brammer

Merlot – Casa Perini (Farroupilha – RS) – Ivane Maria Remus Fávero

Merlot – Miolo Wine Group (Bento Gonçalves – RS) – Daniel Scola

Cabernet Franc – Giacomin Indústria de Bebidas (Flores da Cunha – RS) – Giuseppina Paola Parpinello

Malbec – Vinícola Almaúnica (Bento Gonçalves – RS) – Cecília Aldaz

Cabernet Sauvignon – Guatambu Estância do Vinho (Dom Pedrito – RS) – Protásio Lemos da Luz

Tannat – Don Guerino Vinhos e Espumantes (Alto Feliz – RS) – Mauro Celso Zanus

NÚMEROS DA 24ª AVALIAÇÃO NACIONAL DE VINHOS – SAFRA 2017

– Amostras inscritas: 327

– Vinícolas participantes: 59

– Time da Degustação de Seleção: 118 enólogos

– Participantes: 850 apreciadores de sete países (Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Itália, Japão e Uruguai). Do Brasil, compareceram enófilos de 10 estados ((Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo), além do Distrito Federal.

– Painel de comentaristas: 15 convidados de quatro países Argentina, Brasil, Itália e Japão) e um apreciador sorteado entre o público Odila Moraes.

– Serviço do vinho: 105 alunos dos cursos de Viticultura e Enologia do IFRS – Campus Bento, IFSC – Campus Urupema e Unipampa.

– Amostras degustadas: 16

– Garrafas servidas: 1.440 (90 de cada)

– Em 25 edições, 16.317 apreciadores e 5.849 amostras.

 

COMENTARISTAS

  1. Junko Iwamoto – Jornalista Master of Wine (Japão)
  2. Maria Regina Flores – Enóloga e degustadora da 1ª Avaliação Nacional de Vinhos (Brasil)
  3. Márcia Monteiro – Jornalista e roteirista da Globo (Brasil)
  4. Protásio Lemos da Luz – Médico Cardiologista (Brasil)
  5. Álvaro Cezar Galvão – Enófilo e Blogueiro Divino Guia (Brasil)
  6. Giuseppina Paola Parpinello – Enóloga e pesquisador da Universidade da Bologna. Departamento de Ciência e Tecnologia Alimentação e Agricultura (Itália)
  7. Danio Braga – Chef de cozinha e sommelier (Brasil)
  8. Flávio Zílio – Enólogo do Ano 2016 (Brasil)
  9. Daniel Scola – Jornalista da Rádio Gaúcha (Brasil)
  10. Mauro Celso Zanus – Chefe Geral da Embrapa Uva e Vinho (Brasil)
  11. Cecília Aldaz – Sommelier e apresentadora do programa ‘Um brinde ao vinho’ na Globo Sat Play (Argentina)
  12. Paulo Brammer – Sommelier do Eno Cultura (Brasil)
  13. Ivane Fávero – Presidente da Associação Internacional de Enoturismo – Aenotur (Brasil)
  14. Fabiana Gonçalves Mignot – jornalista do blog Escrivinhos (Brasil)
  15. Alessandra Kianek – jornalista (Brasil)
  16. Odila Moraes  – Degustador Sorteado (Brasil)

FONTE: https://www.enologia.org.br/noticia/xxv-avaliacao-nacional-de-vinhos-safra-2017

53-17923071852-p

Jovial e intenso, Aurora Reserva Rosé chega brindando a Primavera

Vinícola Aurora começa a levar ao mercado o novo vinho Aurora Reserva Rosé, o lançamento que faltava na linha Reserva, de vinhos selecionados, da maior vinícola do Brasil. Elaborado 100% com a melhores uvas Merlot da safra 2017, esse rosé chega para ampliar as opções muito desejadas em épocas de clima quente mas que, pela sua característica gastronômica e ampla gama de harmonizações, é ideal para todas as fases do ano. Para acompanhar os diversos pratos da cozinha asiática – tailandesa, japonesa, chinesa ou indiana – , a vasta culinária litorânea de várias origens (paellas, risotos com frutos do mar, ensopados de peixes e moquecas em geral) além de assados de carne branca e suína e massas com molhos leves e sem carne, além de diversas frituras presentes nas mesas de bar e nas festas, o Aurora Reserva Rosé também fica delicioso nas reuniões ao redor da piscina ou na praia, com seu extremo frescor.

 Traz uma riqueza de aromas sedutores de frutas tropicais e forte presença de morango e de framboesa, além de toques florais nos seus aromas. Na boca revela sua estrutura interessante e a acidez vivaz, que o torna tão fácil de harmonizar à mesa, deixando um agradável retrogosto com notas frutadas e florais.

 A garrafa do novo Aurora Reserva Merlot é de vidro transparente e seu rótulo tem fundo branco, um layoutpensado para destacar a leveza e a jovialidade desse vinho. Os demais itens da linha Aurora Reserva (Chardonnay, Cabernet Sauvignon, Merlot e Tannat) têm garrafas de vidro verde e rótulos de fundo preto. Todos esses itens e as demais linhas e marcas da Vinícola Aurora podem ser encontrados em lojas especializadas e de grandes redes de varejo em todo o Brasil, e em vários restaurantes de capitais brasileiras.

 Cooperativa Vinícola Aurora

Visite o site: www.vinicolaaurora.com.br

SAC: 0800 701 4555

Matriz Bento Gonçalves (RS): (54) 3455-2000

Filial São Paulo: (11) 3051-6124

Escritórios e representantes em todo o território nacional

lançamento_reserva_rose