Guatambu Angus Extra Brut é o espumante Revelação do Guia Descorchados 2017

O espumante Angus Extra Brut foi considerado o espumante revelação no maior Guia de Vinhos da América do Sul, Descorchados 2017. Outro grande destaque foi o espumante Extra Brut, que foi classificado entre os melhores Extra Brut do Guia. Ambos os rótulos receberam 91 pontos.

Também integram a lista de rótulos recomendados os espumantes Guatambu Nature e Poesia do Pampa Brut, da Guatambu Estância do Vinho, de Dom Pedrito, RS.

Maior referência em vinhos da América do Sul, o Guia Descorchados chega a 19ª edição este ano, com mais de 3 mil vinhos foram avaliados pela publicação.

Este é o segundo ano consecutivo que a Guatambu integra a lista dos melhores do ano pelo Guia Descorchados. Em 2016 os espumantes Extra Brut, Angus Extra Brut e Nature safra 2014 também estiveram entre os melhores.

O espumante Angus Extra-Brut, é uma parceria com Associação Brasileira de Criadores da Raça Angus. Elaborado com uvas Chardonnay, colhidas manualmente, é produzido pelo processo champenoise. O Guatambu Extra Brut, também elaborado pelo método clássico, já recebeu Medalha de Ouro no 10º Concurso Internacional La Mujer Elige na Argentina.

Segundo a sócia-proprietária e enóloga Gabriela Hermann Pötter, o crescimento dos espumantes Guatambu, tanto em vendas quanto em premiações, mostra que este perfil de espumantes elegantes e frescos foi uma grande aposta da vinícola e é uma tendência consolidada no mercado brasileiro. Os rótulos tem a consultoria do enólogo uruguaio Alejandro Cardoso.

 Sobre a Guatambu

A Guatambu é uma vinícola boutique que trabalha com administração familiar, em pequena escala, somente com uvas próprias, lotes limitados e garrafas numeradas, em Dom Pedrito, na Campanha Gaúcha, desde 2003. Situada no coração do pampa gaúcho, na fronteira com o Uruguai, o cultivo da videira é marcado por um terroir com mais de 2.300 horas de luminosidade durante o período vegetativo da videira e escassez de chuvas no verão, garantindo a maturação fenólica das uvas e a opulência de seus vinhos.

A vinícola conta com um complexo enoturístico, que engloba área de produção, auditório, sala de degustação, salão com parrilla para eventos e loja, com referências arquitetônicas voltadas à cultura gaúcha e às estâncias do pampa, sendo considerada referência em estilo, beleza e modernidade. Desde maio de 2016 funciona com 100% de energia solar, tornando-se o primeiro empreendimento da área na América Latina movida através de energia limpa.estanciaguatambu.com.br | guatambuvinhos.com.br

angus_creditoeduardorocha

Anúncios

Vinhos brasileiros dão largada a calendário de promoções no Reino Unido

No ano passado, as exportações brasileiras de vinhos para o Reino Unido aumentaram 87,55% em relação a 2015, atingindo US$ 760,4 mil, segundo dados do Sistema de Inteligência da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O resultado consolida o Reino Unido como o terceiro principal destino dos vinhos e espumantes brasileiros e o coloca em posição de destaque no calendário promocional do projeto de divulgação internacional Wines of Brasil, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) em parceria com a Apex-Brasil.

Na próxima semana, o Wines of Brasil dá a largada nas atividades de promoção na terra da rainha. Nas próximas segunda e quarta-feira, dias 27 de fevereiro e 1º de março, em Manchester e Londres, respectivamente, 12 vinícolas irão expor seus produtos no Sitt Spring UK. Essa é a quinta participação consecutiva do Wines of Brasil na iniciativa, que consiste em eventos de degustação voltados para jornalistas e profissionais de importação do setor. A expectativa é que sejam concretizados negócios estimados em US$ 200 mil. Estarão presentes as empresas Aurora, Basso, Campos de Cima, Casa Perini, Cave Geisse, Domno, Don Guerino, Famiglia Valduga, Grupo Miolo, Pizzato, Salton e Sanjo.

“A presença no mercado britânico é estratégica, pois ele ajuda a posicionar os produtos nos demais países europeus. Ainda estamos sendo descobertos pelos consumidores, mas já temos um bom aval de especialistas. No ano passado, a revista Decanter publicou uma matéria de peso, com oito páginas, sobre os rótulos brasileiros”, pondera Diego Bertolini, gerente de Promoção dos Mercados Interno e Externo do Ibravin.

O gosto por vinhos com menor teor alcóolico e frutados, assim como a curiosidade dos consumidores britânicos, irlandeses, escoceses e galeses por rótulos novos, são alguns dos motivos apontados por importadores para explicar a aceitação dos produtos brasileiros no país. Atualmente, existem cerca de 30 milhões de consumidores regulares de vinho no Reino Unido.

“Os rótulos brasileiros são uma boa surpresa para os britânicos. A produção de vinhos é bastante séria, os níveis de álcool não são altos, e os produtos apresentam frescor e elegância”, observa Alex Davies, comprador da Virgin Wines, uma das principais lojas varejistas online da Europa.

Davies esteve na Serra Gaúcha, no início de fevereiro, entre os dias 6 e 11, a convite do Wines of Brasil, em busca de novas vinícolas para o seu portfólio. Sua principal aposta são os espumantes brasileiros, que já são reconhecidos por experts internacionais como de excelente qualidade a custo competitivo. “Há quatro anos foram comercializadas 50 mil garrafas de Prosseco (espumante) no Reino Unido e, em 2016, foram 300 mil. Há muito espaço para se trabalhar o produto brasileiro no país”, informa ele, que visitou e degustou rótulos de 11 vinícolas gaúchas.

O Wines of Brasil também firmou uma parceria com a Virgin Wines para um série de ações de promoção, ao longo do ano, na Inglaterra. Entre elas estão três eventos de degustação nas cidades de Leeds (setembro), Londres (outubro) e Norwich (novembro).

Em 2016, as exportações brasileiras apresentaram alta no valor de 45%, totalizando US$ 5,9 milhões, e no volume, de 43%, com 2,2 milhões de litros.

Curiosidades sobre o mercado inglês:
– Atualmente, oito vinícolas brasileiras exportam para o Reino Unido;
– Em 2016, foram comercializados 173.659 mil litros de vinhos e espumantes brasileiros para o Reino Unido, 104,56% a mais do que 2015;
– O valor exportado no ano passado para o mercado britânico foi de US$ 760.455, representando um incremento de 87,5% sobre o período anterior;
– Até 2018, a projeção é de que os ingleses deverão atingir o consumo de 24,6 litros per capita;
– Existem 30 milhões de consumidores regulares de vinho no Reino Unido;
– Segundo dados da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), o Reino Unido é o segundo mercado importador de vinhos do mundo depois da Alemanha;
– No ranking das exportações de vinhos brasileiros, o Reino Unido fica atrás do Paraguai (1.031.104 litros) e dos Estados Unidos (280.687 litros).

Sobre o Wines of Brasil:    
O Wines of Brasil é um projeto de promoção comercial dos vinhos, espumantes e suco de uva brasileiro no mercado externo. O projeto conta atualmente com a participação de 32 vinícolas e tem como mercados-alvo os Estados Unidos, Reino Unido e China.
Nos últimos anos, cerca de 95% das empresas que aderiram ao Wines of Brasil conseguiram dar continuidade em suas exportações, devido ao suporte e aos programas de capacitação oferecidos, entre outras ações. Mais informações podem ser obtidas nos sites www.winesofbrasil.com e www.ibravin.org.br.

FONTE: http://www.ibravin.org.br/Noticia/vinhos-brasileiros-dao-largada-a-calendario-de-promocoes-no-reino-unido/235

Dal Pizzol resgata hábito familiar ao enterrar 85 garrafas

Há 13 gerações, ainda na Itália, a Família Dal Pizzol já elaborava e mantinha um verdadeiro patrimônio em vinho e cultura. Um dos hábitos da família, ritualizado pelo avô Giovani Batista, primogênito do imigrante Martino, era o de guardar sob a terra algumas garrafas de vinho em safras excepcionais. Remontando a tradição, a sexta geração no Brasil enterrou 85 garrafas de vinhos que permanecerão intocáveis até 2022.

 O ritual ‘Vino sotto terra’ foi realizado no dia 4 de fevereiro, integrando a programação da 7ª Colheita Simbólica do Vinhedo do Mundo, uma das grandes coleções de uvas do planeta. A mais nova atração do Ecomuseu da Cultura do Vinho, na Rota Cantinas Históricas, em Faria Lemos, interior de Bento Gonçalves, está guardada a uma profundidade de 1 metro, dentro de um barril de carvalho. A seleção está composta por 25 garrafas do VINUMMUNDI de cinco colheitas (2012, 2013, 2014, 2015 e 2016) e mais 60 garrafas, entre elas 20 de Cabernet Franc, 20 de Merlot e 20 de Enoteca Dal Pizzol.

 O hábito familiar, trazido da Pátria de origem – o Triveneto -, foi seguido sendo praticado pelas primeiras gerações de imigrantes. Já no Brasil, era comum guardar garrafas de vinho branco Peverela, variedade de colheita tardia. Elas ficavam guardadas na casa paterna, na Linha Paulina, em Faria Lemos, uma prática que acontecia sempre entre os meses de maio e junho, no final do outono. A descoberta das garrafas de vinho era efetuada poucos dias antes do Natal, depois de terem repousado todo o inverno sob a terra. Este vinho era objeto de desejo e destaque nas festas de final de ano, que se estendiam até 6 de janeiro nas comemorações da Epifania, da Befana e do Panevin, de origem veneta.

 Ao lançar o ‘Vino sotto terra’, os irmãos Rinaldo Dal Pizzol e Antônio Dal Pizzol não apenas lançam mais um atrativo cultural como também resgatam uma tradição familiar que começou na Itália e que acompanha gerações. “Preservamos histórias, guardamos relíquias. E todo nosso acervo está intimamente ligado à cultura do vinho, respeitando a nossa origem”, destaca Rinaldo Dal Pizzol. O ‘Vino sotto terra’ está localizado entre a réplica do primeiro vinhedo do imigrante e a Enoteca.

 Em 2022, serão retiradas cinco garrafas do VINUMMUNDI da Colheita 2012, que serão entregues ao Governador do Estado do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, ao Governador da época, ao prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin, ao prefeito naquele ano e uma será sorteada entre os participantes do almoço da Colheita Simbólica do Vinhedo do Mundo daquele ano. A partir de 2022, a cada três anos serão retiradas algumas garrafas, a critério dos gestores, cuja destinação será feita também por eles.

 Durante o ano, o Ecomuseu da Cultura do Vinho, com o seu diversificado acervo, pode ser visitado por turistas, apreciadores, aficcionados, estudiosos e interessados pelo mundo do vinho, de segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h30min. Para grupos é preciso agendar reserva pelo telefone 54 3449.2255/ Fax 54 3449.2222 ou e-mail dalpizzol@dalpizzol.com.br.

FONTE: Conceito com Brasil

Camerata Florianópolis fará concerto na abertura da 4ª Vindima de Altitude

A Camerata Florianópolis, que figura entre os mais importantes grupos do gênero no Brasil, fará o concerto que marca a abertura da 4ª Vindima de Altitude, em 3 de março, no Centro de São Joaquim. O anúncio foi feito ontem (terça-feira, dia 21), no lançamento do evento, no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis. “Será, com certeza, um espetáculo que torna a 4ª Vindima ainda mais especial”, afirmou Guilherme Grando, presidente da Vinho de Altitude Produtores Associados, entidade realizadora da festa que celebra a colheita das uvas.
Grando destacou a evolução do segmento vitivinicultor catarinense, que figura em segundo lugar no país, atrás apenas do Rio Grande do Sul. “Isso significa que estamos no caminho certo: o vinho gera emprego e renda por meio da produção da uva, da bebida, do turismo”, disse.  Salientou ainda a ação social que será desenvolvida nesta edição da Vindima de Altitude – a coleta direta e a destinação de parte da arrecadação com as degustações para a aquisição de material escolar que será entregue para escolas públicas da Serra e Meio Oeste, onde estão instalados os empreendimentos, para facilitar o acesso à educação dos mais carentes.
O secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (Sol), Leonel Pavan, que representou o governador Raimundo Colombo, ressaltou a importância da Vindima de Altitude para incrementar o turismo e também para fortalecer a marca de Santa Catarina. “O Estado é reconhecido pela qualidade de seus produtos, é um dos nossos pontos fortes”, disse. “E os vinhos de altitude têm grande importância nesse processo”.
Também participaram do evento o secretário do Planejamento, Murilo Flores; a secretária executiva da Agência de Desenvolvimento Regional de São Joaquim (ADR), Solange Pagani; o presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Rodolfo Pinto da Luz; o senador Neuto de Conto, e o prefeito de São Joaquim, Giovane Nunes, além de representantes do BRDE, Sebrae/SC, Embrapa, Epagri  e jornalistas de Florianópolis, São Joaquim e Lages.
Empreendedores do setor vitivinicultor marcaram presença no lançamento: Daniela Freitas (Villa Francioni), Patrícia Ferraz (Monte Agudo), Eduardo Bassetti (Villaggio Bassetti), Acari Amorim (Quinta da Neve), Ernani Garcia (Abreu Garcia), Roberto Chaves Soto (D´Alture) e Hiragami, além de Grando (Villaggio Grando).
AVindima de Altitude é uma realização da Vinho de Altitude – Produtores e Associados e Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet, com apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (Sol) e Santur.
 
SERVIÇO
O quê: 4ª Vindima de Altitude, circuito cultural itinerante.
Quando: 3 a 26 de março, de sexta a domingo.
Onde: Praça da Igreja Matriz de São Joaquim, Clube Astréa e vinícolas da Serra e Meio Oeste.
Quanto: As apresentações culturais são gratuitas; os eventos nas vinícolas exigem reservas antecipadas

Setor vitivinícola busca ampliação dos limites de crédito para financiamento

Na última quinta-feira (16), representantes do setor vitivinícola estiveram no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em Brasília (DF), para solicitar a ampliação de recursos no Plano Safra para financiamento da safra da uva 2017 e o aumento dos limites de crédito por empresa. Os deputados federais Afonso Hamm e Mauro Pereira acompanharam a audiência com o secretário de Política Agrícola, Neri Geller, e com o diretor da Secretaria de Políticas Agrícolas do Mapa, Wilson Vaz de Araújo.

Vice-presidente da Frente Parlamentar de Defesa e Valorização da Produção Nacional de Uvas, Vinhos, Espumantes e Derivados, Afonso Hamm defendeu os pleitos do setor e reiterou que as empresas que buscam esse benefício são, em sua maioria, aquelas que estão dando boa resposta ao mercado, inclusive nesse momento de crise. “Temos que ser sensíveis aos pedidos das empresas que ajudam a economia e geram empregos. O Governo Federal está recebendo as reivindicações e aguardamos por uma sinalização positiva”, afirmou.

O deputado Mauro Pereira, atual presidente da Frente, destacou que o aumento nos limites de créditos possibilitará que as empresas ampliem seus investimentos e busquem novas tecnologias para aprimorar a produção. O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, e o diretor da Secretaria de Políticas Agrícolas do MAPA, Wilson Vaz de Araújo, confirmaram que o Ministério seguirá realizando esforços para atender as demandas do setor que a cada dia se torna mais competitivo dentro e fora do país.

Também acompanharam o encontro o enólogo e superintendente do Grupo Miolo, Adriano Miolo, o diretor de Relações Institucionais do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Carlos Paviani, e os representantes do Sindicato da Indústria do Vinho do Estado do Rio Grande do Sul (Sindivinho RS), Eurico Benedetti, e da Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul – (Fecovinho), José Paulo da Silva. Após a reunião, os presentes foram recebidos pelo secretário executivo do Ministério da Agricultura, Eumar Roberto Novacki.

Com informações da Assessoria de Imprensa do dep. Afonso Hamm

FONTE: http://www.ibravin.org.br/Noticia/setor-vitivinicola-busca-ampliacao-dos-limites-de-credito-para-financiamento/233

Abertas inscrições para III Simpósio Internacional Vinho e Saúde

As inscrições para o III Simpósio Internacional Vinho e Saúde, que ocorrerá de 1º a 3 de junho, na Fundação Casa das Artes, em Bento Gonçalves (RS), estão abertas. Grandes nomes da pesquisa desse setor participarão do Simpósio e debaterão os resultados de estudos sobre produtos que têm ocupado cada vez mais espaço na mesa dos consumidores. Já estão confirmados oito palestrantes brasileiros e outros seis internacionais. A programação completa pode ser conferida no site do evento: www.simposiovinhoesaude.com.br.

“Buscamos os melhores especialistas do mundo. Esse evento é muito importante, pois permite a reunião destes nomes e reconhece o que fazemos no Brasil. As palestras vão abordar os benefícios da uva e seus derivados para a saúde, incluindo ganhos na prática de exercícios físicos, para a memória, para o coração, na prevenção do câncer e como aliado na perda de peso”, pontua a presidente da Comissão Científica do Simpósio, a biomédica Caroline Dani.

Somando-se aos benefícios da ingestão de vinho, resultados obtidos a partir do consumo de outros derivados da uva, como óleos, extratos e farinhas de sementes e cascas da fruta, por exemplo, também serão discutidos.

Além de enólogos, a iniciativa tem como público-alvo profissionais da área da saúde e educação, pessoas ligadas à viticultura, lideranças do setor produtivo, produtores rurais, fornecedores da cadeia produtiva, formadores de opinião, imprensa e demais profissionais com afinidade ao tema.

O III Simpósio Internacional Vinho e Saúde, que ocorre em paralelo à programação do Dia do Vinho (19 de maio a 4 de junho), é uma realização do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) com apoio da Associação Brasileira de Enologia (ABE), da Embrapa Uva e Vinho, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fundação do Ministério da Educação (MEC), e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs).

Pesquisas inéditas serão premiadas                      
A programação do III Simpósio Internacional Vinho e Saúde contará ainda com um espaço para pesquisas inéditas, cuja apresentação poderá ser feita de forma oral ou por meio de pôster. As selecionadas serão publicadas em revista científica e as melhores nas modalidades pôster e oral serão premiadas. As inscrições para a submissão de trabalhos seguem até o dia 20 de abril. Elas devem ser feitas no site www.simposiovinhoesaude.com.br.

Iniciada a colheita da safra 2017 da Vinícola Fazenda Santa Rita

Conforme o Instituto Brasileiro do Vinho, as previsões para a safra 2017 são boas e tudo indica que as condições climáticas e o manejo realizado pelos produtores ao longo dos meses ajudarão para que safra de uva se normalize esse ano.

 A expectativa é que a produção no Rio Grande do Sul atinja 600 milhões de quilos de uva em 2017, cerca de 100% a mais se comparado ao ano anterior, quando foram colhidos pouco mais de 300 milhões de quilos.

 De acordo com a enóloga Juliana Toniolo Rossatto, na Vinícola Fazenda Santa Rita as primeiras uvas começaram a ser colhidas no início de fevereiro e a expectativa em relação à qualidade da fruta é ótima. “A qualidade da uva mais uma vez está excepcional, teremos um ano de frutos muito sadios.”

 De um modo geral, 2016 foi a safra que gerou menos quantidade de quilos de uva desde o ano de 2011. Porém, vale lembrar que na Vinícola Fazenda Santa Rita não foi assim. A safra de 2016 da Vinícola Fazenda Santa Rita, em específico, não sofreu essa queda devido a qualidade do vinhedo.

 Para a safra 2017 serão colhidas as variedades Merlot, Pinot Noir, Chardonnay e Sauvignon Blanc. A previsão de encerramento da colheita é para o final do mês de março, sendo lançados os vinhos da safra 2017 no final do próximo ano.

art_2560