Micro e pequenas vinícolas são dispensadas de preenchimento do Bloco K

As micro e pequenas vinícolas estão dispensadas de prestar informações sobre os estoques à Receita Federal. Em reunião agendada pelo deputado federal Mauro Pereira, presidente da Frente Parlamentar de Defesa e Valorização da Produção Nacional de Uvas, Vinhos, Espumantes e Derivados (PMDB/RS) com técnicos do Ministério da Fazenda no último dia 6 foram tratados os pontos da Instrução Normativa (IN) 1652, publicada no Diário Oficial da União em junho de 2016. Os técnicos Francisco Assis Oliveira e Alexandre Torres também confirmaram que o preenchimento do Bloco K  para as empresas vinícolas de médio e grande porte pode ser feito de forma resumida, apenas com os saldos do estoque, conforme IN 1672, publicada no último dia 24. O anúncio ocorreu após audiência solicitada pelo presidente da Frente Parlamentar  no início do último mês com o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

A obrigatoriedade do preenchimento do Bloco K entra em vigor em janeiro de 2017. Bloco K são informações relacionadas a estoques dos próprios produtos e de insumos como garrafa, rótulo, rolha, entre outros. “Havia uma dúvida se as micro e pequenas empresas estavam ou não dispensadas de preenchimento do Bloco K. Esta dúvida só foi esclarecida a partir da audiência realizada na última semana”, explicou o diretor Técnico do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Leocir Bottega.

Integrante do Comitê de Tributação do Ibravin, Darci Dani afirma que a publicação da Instrução Normativa 1672 atende à reivindicação do setor, já que grande parte das vinícolas opera com número reduzido de funcionários e com limitações na infraestrutura. “A prestação das informações de uma forma resumida facilita o cumprimento da norma pelas indústrias vinícolas. Sabemos que é necessário um controle mais efetivo dos estoques mas assim ganhamos mais tempo para esta adaptação”, acredita.
FONTE: http://ibravin.org.br/Noticia/micro-e-pequenas-vinicolas-sao-dispensadas-de-preenchimento-do-bloco-k/223

Anúncios

Governo confirma preço mínimo de R$ 0,92 para uva industrial

O preço mínimo para uva industrial será de R$ 0,92 para a safra 2016/2017. A definição foi publicada no Diário Oficial da União nesta quarta-feira (14) por meio da Portaria 264, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O valor a ser pago pela uva Isabel a 15 graus (variedade de referência) foi definido após reuniões de dirigentes das entidades que representam produtores de uva, cooperativas e indústria vinícola. A proposta de consenso foi apresentada no dia 25 de outubro em encontro com o coordenador geral da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), João Salomão, e com a analista de mercado da uva da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Flávia Starling Soares.

O valor a ser pago a partir de janeiro representa um aumento de 18% em relação à safra 2015/2016, quando o preço mínimo praticado foi de R$ 0,78.

O presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Dirceu Scottá, valoriza o fato do preço mínimo ter resultado de consenso entre os elos da cadeia produtiva. “Ter chegado a um acordo é um grande avanço e demonstra a maturidade que o setor vem alcançando nos últimos anos. Tanto os produtores como a indústria cederam e isso foi muito importante para a confirmação deste valor pelo governo”, acredita. Scottá acredita que nos próximos anos também deverá ocorrer acordo que garanta um pagamento justo pela matéria-prima e que seja viável para a indústria.

O vice-coordenador da Comissão Interestadual da Uva, Olir Schiavenin, concorda com Scottá e acrescenta: “O acordo foi bom para esse ano, mostra o bom-senso e o pensamento de que temos que valorizar todos os elos da cadeia produtiva. Principalmente nesse ano, que teve quebra e que o produtor precisava de um incentivo.”

FONTE: http://ibravin.org.br/Noticia/governo-confirma-preco-minimo-de-r-0-92-para-uva-industrial/219

Frente Parlamentar de apoio a vitivinicultura apresenta resultados do primeiro ano de atuação

O trabalho da Frente Parlamentar de Defesa e Valorização da Produção Nacional de Uvas, Vinhos, Espumantes e Derivados foi apresentado durante almoço que marcou o encerramento das atividades legislativas do grupo. O evento contou a presença de deputados federais, integrantes dos ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, do Desenvolvimento Social e Agrário, da Educação, do Trabalho e Emprego e da Casa Civil, representantes do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do setor vitivinícola nacional, além do vice-governador do estado da Bahia e produtor de vinhos, João Felipe de Souza Leão.

A Frente Parlamentar, presidida pelo deputado gaúcho Mauro Pereira, apresentou a convidados nesta quarta-feira (14), em Brasília (DF), os resultados obtidos no primeiro ano de atuação do grupo composto por 31 representantes do Governo Federal. Dirigentes do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) – representados pelo presidente, Dirceu Scottá, pelo diretor de Relações Institucionais, Carlos Paviani, e pelo gerente de Promoção, Diego Bertolini –  e o diretor executivo da Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul (Fecovinho/RS), Helio Marchioro, agradeceram aos parlamentares a alteração da legislação para permitir que as vinícolas possam optar pelo Simples Nacional, ocorrida em outubro deste ano, e solicitaram apoio para a equalização das alíquotas do Imposto sobre produtos industrializados (IPI). O Ibravin também apresentou a ideia de se desenvolver um Fundo Nacional de Difusão da Vitivinicultura para o próximo ano, a exemplo do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura (Fundovitis) existente no Rio Grande do Sul.

Desde novembro de 2015, quando a Frente Parlamentar foi lançada, senadores e deputados federais atuaram no encaminhamento de questões como a conquista da inclusão das vinícolas no Simples Nacional, a utilização de vinhos e espumantes brasileiros em eventos do Palácio do Planalto, o pagamento do Seguro Agrícola, além de promoverem uma reunião durante a Festa Nacional da Uva deste ano, em Caxias do Sul (RS), para escutar as demandas do setor. Outra reivindicação que segue em andamento é a redução do IPI. Para 2017/2018, o grupo seguirá trabalhando por medidas que visem o aumento da competitividade na vitivinicultura e apoiará as ações de promoção e visibilidade dos produtos nacionais no mercado e institucionalmente.

“Foi um ano com grandes conquistas e isso se deve também ao trabalho dos políticos que apoiam o nosso setor. É importante que tenhamos ao nosso lado pessoas que estejam empenhadas com os interesses e a evolução da vitivinicultura. A criação desta Frente Parlamentar é uma ponte direta onde se definem as leis e precisamos estreitar cada vez mais nossos laços para que consigamos mais benefícios ao setor”, avalia o presidente do Ibravin, Dirceu Scottá.

Durante o almoço, o deputado federal Mauro Pereira agradeceu aos parlamentares presentes o apoio ao setor nestes anos, pediu o comprometimento de todos e anunciou que a partir de 2017 a Frente Parlamentar será presidida pelo também deputado federal Afonso Hamm.

Deputados federais que estiveram presentes no almoço:
– Afonso Hamm
– Betinho Gomes
– Cacá Leão
– Carlos Gomes
– Carlos Marun
– Evair Vieira de Melo
– Hildo Rocha
– Jones Martins
– José Carlos Araújo
– Marcos Montes
– Marcos Reategui
– Mauro Pereira
– Newton Cardoso Júnior
– Onyx Lorenzoni
– Ronaldo Benedet
– Sergio Souza
– Tereza Cristina
– Valdir Colatto

FONTE: http://ibravin.org.br/Noticia/frente-parlamentar-de-apoio-a-vitivinicultura-apresenta-resultados-do-primeiro-ano-de-atuacao/220

Anuário Vinhos do Brasil 2017 é lançado

O Anuário Vinhos do Brasil 2017 foi lançado nesta quinta-feira (15), durante o evento de apresentação dos resultados do Projeto de Valorização dos Vinhos Brasileiros, na sede do Sebrae Nacional, em Brasília (DF). A publicação é uma realização do Grupo BACO com apoio do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e traz todo o panorama do setor, com perfil das regiões produtoras e dados sobre a produção e comercialização. A revista também traz também o resultado da Grande Prova Vinhos do Brasil 2016. Uma das novidades é a relação dos Best Buys, com vinhos medalhas de ouro com valor de até R$ 50 no varejo e as Novas Fronteiras com dois sagrados campeões. A publicação estará disponível em janeiro de 2017.

“Temos acompanhando ano a ano a evolução dos vinhos nacionais que, certamente, têm surpreendido a muitas pessoas, mostrando que não só o Brasil é capaz de uma boa produção, como também já tem um público para esse consumo”, diz Sérgio Queiroz, um dos organizadores do evento.

O Anuário Vinhos do Brasil 2017 é uma publicação em formato de revista Premium, com informações  sobre a indústria do vinho brasileira, com um raio X das regiões produtoras, dos vinhos, do enoturismo, sendo hoje a principal referência editorial do setor, seja no Brasil ou no exterior, onde é distribuído em mais de 100 postos e embaixadas pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE). O anuário traz, ainda, entrevistas nacionais e internacionais e matérias abordando atualidades e tendências do setor e neste ano teve um aumento de 30% no seu conteúdo.

A Grande Prova Vinhos do Brasil 2016 tem destaque especial na edição. Reuniu 852 amostras de 110 produtores de 8 estados, os vinhos foram provados em 27 categorias – o que resultou em 6 medalhas de duplo-ouro, 161 de ouro e 92 de prata. Uma medalha neste certame garante a visibilidade de um vinho não só em todo o Brasil, mas em todos os países em que o Anuário circula e é utilizado como referência para elaboração de portfólio de importadoras e cartas de vinho em hotéis e restaurantes, por exemplo.

De acordo com a avaliação do júri da Grande Prova de Vinhos Brasil 2016, os espumantes seguem como estrelas da produção nacional, mas houve também um notável aumento qualitativo entre os tintos. Além disso, neste ano foi criada uma categoria para os tintos de mais alto preço (acima de R$ 100 no varejo), chamada de Super Premium, com uma performance excepcional (nada menos que 36 medalhas de ouro e 1 duplo-ouro), mostrando que o Brasil já tem uma elite consistente de tintos.

O júri da prova, presidido por Marcelo Copello, foi composto por 20 profissionais de vários estados e convidados internacionais, além de representantes do Ibravin, parceiro do evento, Associação Brasileira de Sommeliers (ABS), jornalistas especializados e de sommeliers premiados. Entre os jurados internacionais nomes de peso como o francês Michel Friou, o chileno Sebastian Rodrigues e Danilo Braga, italiano radicado no Brasil.

Informações gerais e fotos para imprensa:

Idearia Comunicação & Criação de Conteúdo

Telefone: 2847-4550

Dani Borges – dani.borges@idearia.com.br

Fone: 11 99934-2206

Antônia Futuro – antonia.futuro@idearia.com.br

Fone: 11 99451-4262

FONTE: http://ibravin.org.br/Noticia/anuario-vinhos-do-brasil-2017-e-lancado/221

Dalla Vite: e-commerce dos vinhos catarinenses

Após vários anos de pesquisas e investimentos, Santa Catarina conquistou destaque na produção de vinhos finos, em virtude do ambiente propício, as uvas selecionadas e os vinhedos localizados entre 900 e 1.400 metros acima do mar, sendo que a reunião destes fatores garantiu um alto padrão de produção.

Dessa forma, os vinhos finos de altitude produzidos no Estado conquistaram espaço entre os amantes do mundo do vinho, e por via de consequência, muitas premiações devido a sua qualidade.

No entanto, apesar de toda a qualidade já reconhecida dos vinhos, é muito comum os consumidores terem dificuldades em encontrar locais de venda dos vinhos finos elaborados nas regiões de altitude de Santa Catarina.

Diante de tal cenário, aliando a paixão pelo vinho a modernidade, surgiu a Dalla Vite, visando levar os vinhos finos de altitude ao alcance de todos os apreciadores de vinhos no Brasil.

O interessante é que além de comprar os melhores vinhos elaborados em Santa Catarina, há a possibilidade de obter uma série de informações sobre a Vinícola, e claro tudo sobre os vinhos, como todas as informações técnicas dos produtos, análise sensorial dos vinhos, as premiações já recebidas, entre outras informações.

Diferenciais:

– Reunião dos melhores vinhos de altitude produzidos no Brasil em apenas um lugar.

– Levar ao alcance dos consumidores mais exigentes, os melhores rótulos de altitude.

– Possibilidade de mesclar vinhos de tipos e vinícolas diferentes ao custo de apenas um frete.

– Informações sobre a origem dos produtos e suas respectivas vinícolas.

– Ótima relação custo benefício e produtos diferenciados.

Link para o site: http://www.dallavite.com.br/

Dalla Vite

03 espumantes catarinenses para brindar o ano novo!

Separamos 03 dicas de espumantes elaborados em Santa Catarina para começar 2017 da melhor maneira possível!

1) D’Alture Espumante Brut Branco (Vinícola D’Alture – São Joaquim – Santa Catarina)

Elaborado pelo método Charmat, esse espumante apresenta coloração amarelo palha intensa. Perlage fino, intenso e duradouro. Aroma intenso e marcante, predominando as notas de abacaxi, pêssego, mel e nuances de pão tostado. Possui uma acidez equilibrada, apresentando leveza, frescor e cremosidade. Retrogosto agradável, predominando as notas frutadas e o pão tostado.

20160426_122040_resized

2) VSA Espumante Brut Branco (Vinícola Santa Augusta – Videira – Santa Catarina)

Elaborado com Cabernet Sauvignon 54%, Merlot 16%, Chardonnay 30%. Segunda fermentação em autoclaves com temperatura controlada em 12 o C. A maturação ocorreu na permanência do espumante por 6 meses sobre as leveduras o que lhe conferiu cremosidade e fineza.Esse espumante apresenta uma coloração amarelo palha, de boa limpidez. Perlage fino, longo e constante. Boa qualidade aromática, elegante e intenso, predominando as notas de maçã verde, abacaxi, nuances florais e a casca de pão. Acidez muito equilibrada, boa refrescância e persistência. Retrogosto predominando as notas frutadas (cítrico e abacaxi) e a casca de pão.

20160809_130601

3) Suzin Brut Rosé 2015 (Vinícola Suzin – São Joaquim – Santa Catarina)

Um excelente Espumante Rosé elaborado em Santa Catarina, sem dúvidas, um dos melhores elaborados na região. Elaborado com as uvas Merlot 60% e Cabernet Sauvignon 40% pelo processo Charmat longo, ficando sete meses em contato com as borras. Apresenta uma coloração rosada, de média intensidade. Perlage fina, abundante e duradoura. Espumante muito aromático, predominando as notas de morango e framboesa. Boa acidez, bom volume de boca, retrogosto agradável, refrescante, predominando as notas frutadas, com destaque para o morango.

Resultado de imagem para suzin brut rosé 2015

 

Vinícola Thera – A mais nova Vinícola da Altitude Catarinense

O nome da vinícola é uma homenagem à Therezinha Borges de Freitas, carinhosamente chamada de Thera pelo marido Manoel Dilor de Freitas (in memoriam), o visionário empreendedor, pioneiro dos vinhos de altitude de Santa Catarina, e por seus quatro filhos, entre os quais João Paulo, o idealizador da Vinícola Thera.

O bom Terroir nasce do respeito às características únicas da terra e do clima das altas encostas da Serra Catarinense. Valoriza o talento, a honra e a tradição da família. A Vinícola Thera, desenvolveu uma linha exclusiva de vinhos que expressa seu Terroir e sua personalidade desde a primeira degustação.

As mudas são certificadas originárias da França e da Itália. As variedades vitiviníferas são cultivadas pelo sistema de espaldeiras (fileiras verticais), como nas videiras dos melhores rótulos do mundo, o que permite maior captação de sol e baixa produção por parreira, visando assegurar mais qualidade ao vinho. Predominantemente, os vinhedos estão voltados para variedades destinadas à elaboração de vinhos brancos e espumantes, tais como Sauvignon Blanc, Chardonnay, Pinot Noir, e inclui também Merlot, Cabernet Franc, Syrah, Malbec, Sangiovese, Montepulciano D’Abruzzo, entre outras cepas.

Vinho Thera Rosé (750 ml e 1,5l) – Apresenta uma delicada coloração, onde predominam notas de pequenos frutos vermelhos como a pitanga, com um fundo floral no nariz. A sensação em boca remete a uma acidez bem equilibrada e uma incrível aptidão gastronômica.

rose

Vinho Thera Sauvignon Blanc 2015 – Apresenta uma bela coloração palha com reflexos esverdeados. Sua marcante potência aromática remete ao maracujá e ervas frescas, ambos entrelaçados por um toque mineral, típico dos vinhos de altitude de Santa Catarina. No paladar, apresenta intenso frescor e suculência, com final bastante longo e levemente adocicado.

Características da elaboração do vinho:

Prensagem direta, débourbage do mosto a frio, fermentação com uso de levedura selecionada e temperatura controlada. Vinho em contato com as lias até seu engarrafamento, com realização periódica de batonagem, para conquistar maior complexidade aromática e volume de boca.

sauvignonblanc

Em Breve: Thera Chardonnay, Thera Espumante Brut e Thera Auguri.