​JANTAR HARMONIZADO NA TOCA – VINÍCOLA ABREU GARCIA

A Ilha de Santa Catarina é uma fusão de etnias e costumes, temperos e sabores. Para acompanhar essa efervescência gastronômica, a Toca da Garoupa abre suas portas na noite da próxima terça-feira (4) para um delicioso jantar harmonizado. No cardápio, grelhados do mar e vinhos Abreu Garcia em meio a muitos gostos para quem deseja se surpreender à mesa.
Reservas pelo fone (48) 3322.3995.

Anúncios

Espumante brasileiro é premiado no concurso Mondial des Pinots

19º Mondial des Pinots, realizado de 7 a 9 de agosto em Sierre, na Suíça, é mais uma confirmação de que a produção nacional tem potencial para conquistar os amantes de vinhos. O concurso teve 1.347 amostras inscritas por 470 vinícolas de 24 países. E um espumante brasileiro desfilou entre os vencedores, mostrando que a qualidade dos produtos nacionais ultrapassa cada vez mais fronteiras.

 Com a chancela da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), da União Internacional de Enólogos (UIOE) e da Federação Mundial dos Grandes Concursos Internacionais de Vinhos (VinoFed), o 19º Mondial des Pinots reuniu 68 especialistas de 23 países para avaliarem produtos de diversos continentes.

 O diretor da Associação Brasileira de Enologia (ABE), João Carlos Taffarel, que esteve no evento representando o Brasil, destaca a seriedade do concurso. “É um concurso muito respeitado, totalmente informatizado e altamente rigoroso e abrangente, no qual os avaliadores só avaliam vinhos e espumantes à base da família dos Pinots”, explica.

 Espumante premiado

Privillege Peterlongo Brut Rosé – Estabelecimento Vinícola Armando Peterlongo (Garibaldi, RS)

mondial-des-pinots

FONTE: CONCEITO COM

Família Salvador anuncia o novo lote do vinho Gran Báculo

Elaborado com uvas colhidas na gloriosa safra de 2012, 100% variedade Cabernet Sauvignon.

Neste momento o vinho esta amadurecendo na cave da vinícola, com previsão de lançamento para o ano de 2017, após atingir três anos do seu envase.

Por ser o vinho ícone da vinícola, suas rolhas também serão numeradas, assim como o primeiro lote e registradas uma a uma em um novo livro que ficará para a história da Família Salvador.

news_gran_baculo_2012_-_ok

Cabernet Sauvignon da Guatambu é selecionado entre os 8 melhores vinhos tintos na 24ª Avaliação Nacional de Vinhos

O Cabernet Sauvignon da Guatambu Estância do Vinho foi selecionado entre os 8 melhores vinhos tintos da safra, na 24ª Avaliação Nacional de Vinhos, realizada no último sábado, 24 de setembro, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves. O evento, promovido desde 1993 pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), contou com a presença de 850 pessoas, entre enólogos, sommeliers, enófilos, jornalistas e apreciadores do vinho brasileiro.

 O jurado que comentou o vinho da Guatambu, Baudouin Havaux, organizador do Concurso Internacional de Vinhos de Bruxelas, da Bélgica, deu nota 93 a amostra, e destacou os aromas finos de frutas vermelhas, como framboesa, amora e um toque de chocolate, a estrutura potente, sem perder a delicadeza, e uma grande persistência. “Um vinho que certamente ganharia Medalha de Ouro, se fosse para o Concurso Mundial de Bruxelas”- finalizou.

 Pela primeira vez, a ANV classificou 11 variedades distintas entre as 16 selecionadas para o público. Além das habituais Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Merlot, também estrelaram com a Marselan, Tannat, Tempranillo e Alicante Bouschet. Entre as brancas destaque para a Chardonnay, Sauvignon Blanc, Moscato Giallo e Riesling Itálico. As 16 amostras foram selecionadas entre 75 (30%) mais representativos da Safra 2016, classificados em um cenário de 241 amostras de 46 vinícolas de mais de 10 microrregiões produtoras. Esta avaliação técnica foi feita por 90 enólogos no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho, parceira técnica do evento.

  Sobre a Guatambu

A Guatambu é uma vinícola boutique que trabalha com administração familiar, em pequena escala, somente com uvas próprias, lotes limitados e garrafas numeradas, em Dom Pedrito, na Campanha Gaúcha, desde 2003. Situada no coração do pampa gaúcho, na fronteira com o Uruguai, o cultivo da videira é marcado por um terroir com mais de 2.300 horas de luminosidade durante o período vegetativo da videira e escassez de chuvas no verão, garantindo a maturação fenólica das uvas e a opulência de seus vinhos.

A vinícola conta com um complexo enoturístico, que engloba área de produção, auditório, sala de degustação, salão com parrilla para eventos e loja, com referências arquitetônicas voltadas à cultura gaúcha e às estâncias do pampa, sendo considerada referência em estilo, beleza e modernidade. Desde maio de 2016 funciona com 100% de energia solar, tornando-se o primeiro empreendimento da área na América Latina movida através de energia limpa.

FONTE: Assessoria de Flor em Flor

Dunamis Tannat brilha na Avaliação Nacional de Vinhos

Este vinho me impressiona muito. E também dá medo, como produtor de vinho do Chile, ver que a qualidade do vinho brasileiro está galopando rapidamente. Esse Tannat é uma maravilha, desde a cor até o final de boca. Nota-se uma técnica muito bem manejada e, com o tempo, será um vinho com muita vida e persistência. Creio que vai ser um produto sensacional, especialmente nesta colheita tão difícil. Minha nota é 94 pontos”. Foi assim que o enólogo francês Pascal Marty, responsável por alguns dos mais audaciosos projetos vinícolas do mundo, finalizou seu comentário sobre o tannat da Dunamis, durante a 24ª Avaliação Nacional de Vinhos, realizada no último sábado, dia 24. Pelo segundo ano consecutivo, a variedade da vinícola desfilou entre as 16 mais representativas da safra, diante dos mais de 850 apaixonados por vinhos que acompanharam o evento.

 Elaborado a partir de uvas cultivadas em Dom Pedrito, na região da Campanha Gaúcha, o tannat reflete todo o cuidado que a vinícola possui, desde o manejo das uvas, passando pela colheita, até a vinificação e amadurecimento em barricas de carvalho, de onde a amostra foi extraída para participar da ANV. “Sem vinhedo não há bons vinhos. Todo grande vinho nasce em vinhedos de alta qualidade e se replica ao longo de todo o processo de elaboração. A Dunamis tem como filosofia buscar entregar mais do que oferece. Acho que esse vinho é reflexo disso”, destaca o sócio proprietário da Dunamis, José Antonio Peterle.

 Com visual límpido e coloração vermelho violácea, o Dunamis Tannat une taninos macios com a delicadeza dos aromas de frutas como cereja e amora, além de especiarias como cravo e pimenta preta. Outra estrela entre os 30% mais representativos da Safra 2016 é o Dunamis Cabernet Franc, um tinto seco jovem, elegante e redondo em boca, ideal para beber em qualquer época do ano.

 “Os dois vinhos reconhecidos pelos enólogos da ANV personificam bastante o espírito Dunamis de elaborar vinhos. São apaixonantes, redondos, delicados e ao mesmo tempo cheios de personalidade do terroir. São vinhos que carregam aquele espírito livre e descomplicado da Dunamis e que podem ser bebidos a qualquer momento. Porém, ao mesmo tempo, marcam profundamente quem os degusta”, explica o enólogo da vinícola, Vinícius Cercato, que conta ainda com a atuação do enólogo Thiago Salvadori Peterle e do enólogo sênior Cesar Azevedo na elaboração.

 Cercato ressalta a atuação do time técnico da vinícola e do pessoal de campo, que trabalha no dia a dia do vinhedo, principalmente em uma safra com tamanha adversidade climática, com geadas, granizo e chuvas acima da média. “O vinho que recebeu 94 de um degustador tão importante e que encantou as 850 pessoas que participaram da Avaliação é resultado de trabalho árduo. Lembro de uma semana em setembro de 2015 quando trabalhamos de forma preventiva e contínua para tentarmos evitar grandes perdas de uvas que se transformariam nesse vinho. Tivemos uma longa jornada até chegarmos aqui e foi resultado de muito carinho e amor pelo vinho”, destaca.

 Neste ano, a Avaliação recebeu 241 amostras inscritas por 46 vinícolas de seis estados brasileiros. As degustações ocorreram às cegas por um time de 90 enólogos convidados pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), entidade promotora do evento, entre os dias 18 e 25 de agosto, no laboratório de análise sensorial da Embrapa Uva e Vinho. Após rigorosos critérios de avaliação, foram selecionadas 74 amostras (30%) como as mais representativas da Safra 2016. Destas, 16 foram selecionadas para apreciação do público – entre elas o Dunamis Tannat.

 “Os resultados dos dois últimos anos coroam mais de uma década de investimento. Esse desempenho nos dá alegria e estímulo para continuarmos acreditando no vinho brasileiro e na valorização do terroir da Campanha Gaúcha”, conclui o sócio proprietário da Dunamis.

 O comentarista dos 94 pontos

Engenheiro agrônomo e enólogo francês formado pelo Instituto de Enologia de Bordeaux, foi winemaker da Baron Philippe de Rothschild, onde implantou e acompanhou a gestão da associação franco-america com Robert Mondavi, que resultou no Opus One, projeto considerado o primeiro vinho ultra premium do mundo.

 Sobre a Dunamis

Vinhos e espumantes ideais para serem degustados a qualquer momento. Esse é o principal conceito da Dunamis Vinhos e Vinhedos, uma vinícola jovem, criada em 2010 por José Antonio Peterle, um apaixonado pelo vinho que assumiu a prerrogativa de explorar a riqueza das terras da Campanha Gaúcha para desenvolver sua paixão. Desde então ele conta com a presença ativa dos filhos na operação e do sobrinho e gerente geral da empresa, Celso Gromowski.

 Os enólogos Thiago Salvadori Peterle e Vinícius Cercato compõem o time que tem à frente o  enólogo sênior Cesar Azevedo, com a missão de descomplicar o consumo do vinho sem abrir mão da elegância. A  jovialidade dos profissionais se traduz nas garrafas das bebidas que carregam o rótulo Dunamis: vinhos e espumantes descontraídos e versáteis.

 Contando com produções de uva próprias, a Dunamis possui ampla equipe para o acompanhamento dos vinhedos, garantindo que todo o processo seja marcado por excelente qualidade. Ao todo, são 15 hectares de vinhedos em Dom Pedrito para a produção de vinhos finos e outros 10 hectares na cidade serrana de Cotiporã, de onde saem  uvas para produção de espumantes.

vinhedos-da-dunamis-na-campanha-gaucha

FONTE: CONCEITO COM

​ABREU GARCIA LANÇA O PRIMEIRO ESPUMANTE VERMENTINO BRASILEIRO

Histórico. Único. Emblemático. É o primeiro espumante do Brasil elaborado com a variedade Vermentino. O lançamento marca os 10 anos da Vinícola Abreu Garcia e são apenas 200 garrafas exclusivas.
Batizado de Geo, em homenagem ao geoglifo encontrado na vinícola por arqueólogos, o Espumante Abreu Garcia Vermentino Brut 2014, cuja criação representa um marco da bem-sucedida história de 10 anos da Vinícola Abreu Garcia, nasceu em Campo Belo do Sul numa pequena área de 0,26 hectares, com 887 plantas – e sua origem está nas famosas e deslumbrantes ilhas de Sardenha e Córsega. 

A muda dos vinhedos da Itália foi trazida cuidadosamente pelo médico Ernani Garcia, proprietário da vinícola na Serra Catarinense, situada a 950 metros acima do mar. A combinação entre o clima ideal e a maturação adequada dos frutos resultou numa joia etílica cuja nobreza é identificada pela intensidade, elegância e persistência aromática.

É um lote histórico para vitivinicultura brasileira. Este lançamento, fruto da criteriosa seleção do enólogo Jean Pierre Rosier, foi elaborado 100% em varietal pelo tradicional método Champenoise. “Contando com apenas 200 garrafas numeradas, teve parte disponibilizada para degustação de lançamento na Expovinis de 2015, no stand da Abreu Garcia – Vinhos de Altitude. Trata-se do menor vinhedo da vinícola e a única casta italiana cultivada em seus domínios”, relata Jean Pierre.

O emblemático espumante surgiu graças a um minucioso projeto de pesquisa com a participação da Fapesc. É uma amostra bem representativa da evolução para quem gosta de apreciar um espumante em todos os seus detalhes. “Apresenta coloração amarelo claro com tons esverdeados que permite visualizar o importante perlage de pequenas bolhas persistentes. Possui aromas florais e frutados intensos, com notas cítricas e de physalis, cuja espontaneidade se revela também em boca produzindo um produto alegre, macio e persistente. A temperatura de serviço que mais valoriza suas características é próxima a 5 °C. e pode ser servido perfeitamente tanto como aperitivo descompromissado como acompanhado de sobremesas”.

Com todas essas características que o tornam único em sabor e sofisticação, o Vermentino Brut 2014 se constitui em um espumante à altura do talento do seu idealizador.

Visite http://www.abreugarcia.com.br e acesse a loja para garantir a sua garrafa.

Dal Pizzol Alicante Bouschet entre os mais representativos de 2016

Foi dos vinhedos de Bagé, porta de entrada do pampa gaúcho, que a Dal Pizzol Vinhos Finos surpreendeu com a variedade Alicante Bouschet na 24ª Avaliação Nacional de Vinhos (ANV), promovida pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), no último sábado, 24 de setembro. A vinícola, de Bento Gonçalves (RS), ficou classificada entre as 16 amostras mais representativas da safra 2016.

Concebida apenas a partir do final do século 19, a variedade de uva é ainda pouco conhecida, inclusive de boa parte dos 850 participantes na ANV. No entanto, a aposta da Dal Pizzol por meio desse vinho tinto fino seco aconteceu justamente pela contemporaneidade e por uma demanda cada vez mais crescente do mercado nacional por novidades em vinhos. “Estamos imensamente felizes pelo resultado”, comemora Dirceu Scottá, enólogo da Dal Pizzol Vinhos Finos.

Na descrição sensorial dos 90 enólogos, durante a Avaliação de Seleção, realizada no mês de agosto, o produto foi considerado de visual límpido e brilhante, tonalidade vermelho rubi intenso, com reflexos violáceos, cor viva e vibrante, lágrimas persistentes. No nariz tem a intensidade média levou a aromas de frutas vermelhas, framboesa, amora, cereja, morango, jabuticaba, notas adocicadas, caramelo, compota, pão doce, cassis, especiarias, pimenta, cacau, café, baunilha, couro, tabaco e sutil mineral. Na boca é encorpado e equilibrado, acidez marcante e taninos macios, com boa estrutura e corpo médio, bom potencial de envelhecimento.

 Alicante Bouschet surgiu no final do século 19, pelo cruzamento entre Petit Bouschet e Grenache. Trata-se de uma cepa muito utilizada em cortes, nos quais participa acrescentando cor e taninos. Tanto os taninos quanto a acidez combinam muito bem, por exemplo, com robustas carnes vermelhas.

A outra boa notícia ficou para o Dal Pizzol Cabernet Sauvignon 2016 que também ficou entre os 30% mais representativos. “A ANV legitimou dois produtos Dal Pizzol que estarão no mercado e, sem dúvida, é uma radiografia da produção brasileira que gera grande expectativa no setor, considerado o grande momento do vinho brasileiro”, destaca Scottá.

 Os vinhos foram avaliados por 90 enólogos em seis sessões degustadas às cegas, entre os dias 18 a 25 de agosto de 2016, no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho. Participaram da 24º Avaliação Nacional de Vinhos 46 empresas vinícolas dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia, Minas Gerais e São Paulo. No total foram inscritas 241 amostras nas categorias branco fino seco não aromático, branco fino seco aromático, tinto fino seco, tinto fino seco jovem e vinho base para espumante.

equipe-da-dal-pizzol-presente-no-evento-foto-jeferson-soldi

FONTE: CONCEITOCOM