Kim Jong-Un gasta £ 219 mil em vinho e espumante

O ditador norte-coreano Kim Jong-Un, de 33 anos de idade, não se priva dos ’’regalos capitalistas’’. Segundo o relatório fornecido pelo Centro de Comércio Internacional e, por países que negociam com o Estado comunista, o ditador, educado em colégios suíços, gastou £ 219 mil em vinhos e espumantes da Itália, Bulgária e Macedônia no último ano.

O relatório também mostrou que Kim importou £ 155 mil de uísque da Alemanha, Dinamarca, Geórgia e comprou uma grande quantidade de Johnnie Walker Scotch. £ 65 mil em queijos franceses e £ 2 mil em rum alemão também estão na lista. Rússia, Geórgia e Bielorússia receberam um total de £ 108 mil de Kim por sua vodca. Atualmente, a Coréia do Norte tem 25 milhões habitantes com uma renda inferior a US$ 5 por dia.

Original: http://revistaadega.uol.com.br/artigo/kim-jong-un-gasta-219-mil-em-vinho-e-champagne_10694.html#ixzz4D46X7ScL

Vinícolas australianas podem se beneficiar com o ”Brexit”

A indústria australiana do vinho acredita que a saída do Reino Unido da União Europeia (EU) pode baratear o custo de envio de seus produtos para o bloco britânico, maior consumidor de vinho australiano do mundo.

Vinicultores da Austrália têm de pagar uma taxa, estipulada pela União Europeia, para enviar seu vinho ao Reino Unido. Com a saída do bloco britânico, eles acreditam que o acordo que firma o valor desta taxa será desfeito, diminuindo o custo de expedição e também o preço pago pelo consumidor final após a separação definitiva do bloco britânico da EU, que ainda não tem data para se oficializar.

Larry Jorgensen, um enólogo australiano, se mantém cauteloso. Em relação à diminuição da taxa, ele disse: ‘’Nós esperamos que todas essas mudanças sejam boas para nossa indústria em termos de igualdade na disputa por mercado com o resto da Europa, mas nós realmente não sabemos o que o vai acontecer’’, afirmou Larry. 

Original: http://revistaadega.uol.com.br/artigo/vinicolas-australianas-podem-se-beneficiar-com-o-brexit_10693.html#ixzz4D45vUc4F

Vinho brasileiro ganha embaixada na capital gaúcha

O vinho brasileiro, que a cada dia conquista os paladares mais exigentes do País e do Exterior, passa a contar com uma embaixada em Porto Alegre (RS). A Casa Destemperados abre suas portas para um dos produtos-símbolo do Estado do Rio Grande do Sul e apresenta o espaço em evento na noite desta quarta-feira (29), para representantes do governo gaúcho e convidados. A ação é viabilizada pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), com recursos do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura (Fundovitis). Metade do valor arrecadado pelo fundo é repassado ao Instituto pelo governo do RS. 

O presidente do Ibravin, Dirceu Scottá, comemora a abertura de um local que servirá para a divulgação e promoção do vinho brasileiro. “A embaixada está num espaço dedicado à experiência gastronômica, estilo de vida e à cultura de busca por novas experiências”, valoriza.

Scottá cita, ainda, a mudança de conceito dos rótulos brasileiros perante o consumidor e a crítica, com a consolidação do vinho brasileiro  e excelentes perspectivas para os próximos anos.

O evento será na Casa Destemperados, às 19h, e terá a presença dos secretários da Agricultura e de Comunicação do RS, Ernani Polo e Cleber Benvegnú, respectivamente, além de dirigentes do setor, da equipe do Ibravin e convidados.  O sommelier Maurício Roloff fará uma apresentação dos diferentesterroirs brasileiros e falará sobre as características de cada um, com degustação dos vinhos e jantar harmonizado.

Fonte: http://www.ibravin.org.br/Noticia/vinho-brasileiro-ganha-embaixada-na-capital-gaucha/150

Vinhos de altitude da Serra catarinense vão entrar na rota do turismo internacional

Uma nova geografia impera no mapa do turismo em Santa Catarina. Afinal, nem só de sol e praia vive o turista. Há um número crescente de iniciativas que visam atender um tipo muito especial de viajante: aquele que liga o carro, veste roupas quentes e sobe a serra. De olho nesse boom, a partir de outubro os visitantes vão poder dispor, ao desembarcar noaeroporto Hercílio Luz, do aplicativo da rota dos vinhos de altitude. A ferramenta poderá ser acessível em quaisquer aparelhos eletrônicos e será similar ao aplicativo da cidade de Dubai, dosEmirados Árabes.


Prorrogado prazo para vinícolas inscreverem amostras na maior degustação de vinhos do mundo

As vinícolas brasileiras interessadas em participar da 24ª Avaliação Nacional de Vinhos ganharam mais um prazo para inscreverem suas amostras junto à Associação Brasileira de Enologia (ABE), entidade promotora. O prazo encerra dia 30 de junho e as inscrições podem ser feitas pelo link  www.enologia.org.br/feiras-e-eventos/avaliacao-nacional-de-vinhos/inscricao-de-amostras. Este ano, serão mais de 15 mil, reforçando o título de maior degustação de vinhos de uma safra do mundo.

O presidente da ABE, enólogo Juliano Perin, reforça o papel da Avaliação Nacional de Vinhos na evolução do vinho brasileiro, caminhando lado a lado com o setor. “A Avaliação serve como termômetro do setor, destacando tendências, apontando melhorias e indicando práticas a serem adotadas capazes de seguir avançando na qualidade dos nossos vinhos e espumantes”, comenta.

A 24ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2016 terá seu momento maior no dia 24 de setembro, quando cerca de 850 apreciadores da bebida conhecerão a representatividade da safra. Até lá, o caminho passa pela inscrição e avaliação das amostras. Os apreciadores poderão se inscrever a partir do dia 30 de agosto, pelo site da entidade

No ano passado, o evento reuniu 312 amostras de 56 vinícolas. Informações podem ser obtidas pelo e-mail abe.adriane@terra.com.br ou por meio dos telefones (54) 3452.6289 ou 3451.2277.

CATEGORIAS DOS VINHOS

I – Branco Fino Seco Não Aromático
II – Branco Fino Seco Aromático
III – Tintos Finos Secos
IV – Tinto Fino Seco Jovem
V – Vinho Base para Espumante

image

Novak Djokovic compra terreno para vinhedos na Sérvia

Novak Djokovic, tenista número um do mundo, adquiriu há alguns meses cinco hectares de terra para começar a plantação de seus próprios vinhedos na região vinícola de Šumadija, na Sérvia, sua terra natal. De acordo com fontes locais, as negociações foram feitas através do tio do atleta, Goran Djokovic. Os vinhedos do tenista estarão localizados em Opleanc, perto da aldeia de Lipovac, uma pequena áerea da grande região vinícola de Šumadija.

Segundo Vladimir Stojić, diretor da Setor Media, empresa de promoções que representa a Associação de Vinicultores de Šumadija, o terreno adquirido pelo tenista abrigou vinhedos há 50 anos. Desde então, foi abandonado.

Vladimir disse: ‘’O local está sendo preparado e as plantações das vinhas devem começar no ínicio da próxima primavera, em março de 2017. Ainda não se sabe quando a vinícola vai ser construida, mas tudo indica que pode ser em 2017 ou em 2018. O valor pago por Djokovic pelo terreno não foi divulgado. O preço de um hectare em Opleanc pode custar aproximadamente US$ 9 mil. 

image

Original: http://revistaadega.uol.com.br/artigo/novak-djokovic-compra-terreno-para-vinhedos-na-servia_10692.html#ixzz4Cq0134OY

Odilon de Varine é o novo mestre de adega da Gosset

Após o falecimento de Jean-Pierre Mareigner, mestre de adega da Gosset Champagne por 33 anos, há um mês, a vinícola francesa anunciou Odilon de Varine como sucessor de Jean-Pierre.

Odilon de Varine é um francês de 51 anos que possui 15 anos de experiência em vinícolas da Borgonha, Alsácia, Califórnia e Nova Zelândia. Odilo chegou à Gosset em 2006 como diretor adjunto da empresa, cargo que ainda será seu mesmo após se tornar mestre de adega.

A mãe de Odilon foi produtora de uvas da região de Borgonha e seu pai ex-gerente da vinícola Veuve Clicquot. Em nota, Odilon disse: ‘’Estamos todos ansiosos para continuar com a mesma paixão e qualidade o trabalho de nosso antigo mestre de adega, Jean-Pierre’’, afirmou o enólogo. 

image

Original: http://revistaadega.uol.com.br/artigo/odilon-de-varine-e-o-novo-mestre-de-adega-da-gosset_10691.html#ixzz4CpzcKhsE

Projeto que inclui vinícolas no Simples é aprovado em primeiro turno no Senado

O Senado aprovou, em primeiro turno, no último  dia 21, a atualização das regras para o enquadramento das empresas no Supersimples – como é conhecida a legislação com regras tributárias simplificadas para as empresas. O texto base, que inclui as micro e pequenas empresas vinícolas, foi aprovado por unanimidade, com 65 votos a favor – 24 além do mínimo exigido para um projeto complementar. Por se tratar de substitutivo, o projeto será submetido a turno extra de votação, que deve ocorrer nesta quarta-feira (22). Como houve alteração, a matéria voltará para a análise da Câmara dos Deputados, em caso de aprovação definitiva.

A relatora do projeto, senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), explicou que o objetivo das alterações é fazer mais empresas aderirem ao Simples – e, consequentemente, gerar mais empregos. Marta é autora do substitutivo ao projeto original do ex-deputado Barbosa Neto (PLC 125/2015 – Complementar). 

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) dos 8,3 mil produtores informais de vinhos em 2013, mais de 1,9 mil tem potencial para empreender. A formalização de mais empresas e o consequente aumento na arrecadação pelo governo federal estão entre as principais justificativas para a inclusão das vinícolas no regime simplificado de tributação. Outro motivo é a redução de custos e desburocratização para o segmento.

Mudanças

Entre as mudanças, está a elevação de R$ 3,6 milhões para R$ 4,8 milhões do teto anual da empresa de pequeno porte (EPP) a ser incluída no programa (o teto anterior era de R$ 14,4 milhões). A relatora reconheceu que o novo teto ficou “aquém” do proposto inicialmente, mas considerou que a situação precária da economia do país exigiu adaptações também nas propostas legislativas.

Marta destacou que a perda para a União ficará em torno de R$ 1,8 bilhão, mas os estados poderão ter impacto positivo nos orçamentos. O substitutivo passou também a prever o pagamento do ICMS e do ISS por fora da guia do Simples Nacional na parte da receita bruta anual que exceder R$ 3,6 milhões. Esses impostos são, respectivamente, de competência de estados e municípios. O número de faixas de faturamento foi reduzido de 20 para 6. A maioria dos ajustes entra em vigor a partir de 1º de janeiro de 2018. Um único dispositivo entrará em vigor imediatamente: a criação de um parcelamento especial de débitos das empresas do Simples de 120 meses.

O projeto também eleva o limite de receita bruta anual para o enquadramento como microempreendedor individual, que passa dos atuais R$ 60 mil para R$ 72 mil. Além disso, permite a adesão ao Simples do empreendedor do meio rural com receita bruta de até R$ 72 mil. Outra mudança beneficia, além das vinícolas, as  microcervejarias, produtores de licores e destilarias, que poderão aderir ao Simples Nacional.

image

Fonte: http://www.ibravin.org.br/Noticia/projeto-que-inclui-vinicolas-no-simples-e-aprovado-em-primeiro-turno-no-senado/149

Taças unem beleza e praticidade ao descomplicarem o serviço do vinho

Que uma bela taça pode deixar qualquer bebida mais interessante, isso é fato. As taças italianasItalesse, distribuídas com exclusividade pela Essen Vinhos, emFlorianópolis, aparecem como uma bela opção no mercado. Produzidas artesanalmente por sopro, são deXtreme, material que aumenta a resistência, e vidro cristalino sem chumbo ou de policristal inquebrável. Há mais de 30 anos no mercado, a Italesse tem diversas linhas, em cada uma delas há uma taça para espumante, branco e tinto, com o objetivo de “descomplicar” o serviço do vinho.

image

Fonte: http://dc.clicrbs.com.br/sc/colunistas/estela-benetti/noticia/2016/06/tacas-unem-beleza-e-praticidade-ao-descomplicarem-o-servico-do-vinho-6215742.html

Panceri Edição Especial 25 anos

A Vinícola Panceri lançou essa edição especial, em comemoração aos 25 anos da empresa.

Em 1990, Nilo e seus filhos, Luiz e Celso fundam a Panceri.

Em 2015 completa 25 anos, colecionando mais de 15 medalhas, além de premiações nacionais e internacionais.

Esse Vinho foi elaborado com as variedades: Merlot, Teroldego e Montepulciano. Possuindo um teor alcoólico de 12,3%.

Apresenta uma coloração rubi intensa, com reflexos violáceos. Aroma muito interessante, complexo, elegante, predominando notas de pimenta, baunilha, e frutas vermelhas. Acidez presente, tanino não muito elevado, porém maduro e sedoso. Persistência mediana. Bom corpo e estrutura. Predominam no retrogosto as notas de especiarias, um frutado, além de toques de café e tabaco.

Um Vinho de muita qualidade, digna dos 25 anos de história da Vinícola Panceri.

20160618_193620_resized